Deputados pedem à PGR prisão preventiva de Lula e dizem que ele incita ‘a violência’

Requerimento é baseado em declaração do ex-presidente que disse que o Brasil deve seguir o exemplo do Chile e Bolívia.

Redação AM POST*

Os deputados Sanderson (PSL-RS) e Carla Zambelli (PSL-SP) foram nesta segunda-feira (11) ao procurador-geral da República, Augusto Aras, pedir a instauração de inquérito policial e prisão preventiva do ex-presidente Lula (PT), solto na última sexta-feira (8). O senador Major Olimpio (PSL-SP) também protocolou o mesmo pedido. Os parlamentares afirmam que o petista incita “a violência com o intuito de promover desagregação, confusão e balbúrdia”.

O requerimento é baseado em uma declaração do ex-presidente ocorrida no último sábado (9) no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, em que ele disse que o Brasil deve seguir o exemplo do Chile.

“A gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, do povo da Bolívia, a gente tem que resistir… Na verdade, atacar e não apenas se defender”, disse Lula um dia depois de sair da prisão.

De acordo com os parlamentares, Lula infringiu os artigos 286 (incitação pública ao crime) e 287 (apologia ao crime ou ao criminoso) do Código de Processo Penal e o artigo 22 (fazer propaganda de violência para alteração da ordem pública) da Lei de Segurança Nacional.

Lei de Segurança Nacional
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse entrevista ao site O Antagonista nesta segunda-feira (11) que os discursos do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), podem ser motivo para acionar a Justiça.

“Temos uma Lei de Segurança Nacional que está aí para ser usada. Alguns acham que os pronunciamentos, as falas desse elemento, que por ora está solto, infringem a lei. Agora, nós acionaremos a Justiça quando tivermos mais do que certeza de que ele está nesse discurso para atingir os seus objetivos”, disse.