IML retira 60 cápsulas de cocaína em cadáver de venezuelana

Esse material causou a perfuração no órgão e evoluiu para o quadro de septicemia.

Redação AM POST

Uma venezuelana de 43 anos morreu na noite de sexta-feira (13/12) vítima de peritonite, inflamação da membrana que reveste a parede abdominal. Após necropsia realizada no Instituto Médico Legal (IML), foi constatado que a infecção generalizada foi causada por 60 cápsulas de cocaína que estavam no estômago da mulher.

O caso foi enviado ao Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil do Amazonas. De acordo com informações de um hospital particular, localizado na rua Tapajós, no Centro, onde a mulher foi socorrida, ela foi deixada sozinha em frente à unidade hospitalar. Segundo as informações do hospital, ela foi levada por um taxista e estava passando muito mal e, apesar de não ter plano de saúde particular, foi atendida, mas veio a óbito antes mesmo do atendimento começar.

O corpo dela foi removido pelo IML por volta das 7h de sábado (14/12). Ao passar pelo exame de necropsia, os médicos constataram que no estômago da mulher haviam 60 cápsulas de cocaína, o equivalente a 886 gramas da substância entorpecente. Esse material causou a perfuração no órgão e evoluiu para o quadro de septicemia.

Pela avaliação do IML com base na evolução do quadro, estima-se que a venezuelana estivesse com as drogas introduzidas no organismo há pelo menos três dias. O corpo da venezuelana segue no IML aguardando reconhecimento de familiares e o Consulado do País será acionado.

* Com informações da Assessoria de Imprensa