Acusado de matar homem a pauladas por dívida de R$ 150 é condenado a seis anos de prisão

Em depoimento, ele alegou que havia emprestado dinheiro à vítima e no dia do crime foi cobrar a dívida.
14/01/2020 15h27 - Atualizado em 15/01/2020 12h49

Foto: Divulgação/TJAM


Redação AM POST*

Rogelson Nascimento da Silva foi considerado culpado e condenado a seis anos de prisão em regime semiaberto pelo Tribunal do Júri na tarde de segunda-feira (13) pelo homicídio a pauladas de Leonardo Monteiro de Almeida. O crime ocorreu na tarde do dia 18 de março de 2018, por volta das 17h, na Rua Prímula, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. A motivação para o crime foi uma dívida de R$ 150 que a vítima tinha com o réu.

A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz de direito Rômulo Garcia Barros Silva, da 3ª Vara do Tribunal do Júri, do Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, Zona Sul da capital.

O réu teve a advogada Amanda de Oliveira Lopes, para defesa, enquanto que o Ministério Público do Estado do Amazonas esteve representado pela promotora de justiça Márcia Cristina de Lima Oliveira. Rogelson Nascimento da Silva estava respondendo o processo em liberdade e cumprirá a pena imposta pela Justiça em regime semiaberto.

O crime
De acordo com o Inquérito Policial (IP) que originou a denúncia do Ministério Publico (MPE-AM), no dia 18 de março de 2018, por volta das 17h, na rua Prímula, do bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus, Leonardo Monteiro de Almeida estava alcoolizado, sentado em via pública, quando Rogelson o atacou, desferindo várias pauladas contra sua cabeça. A vítima morreu no local.

No depoimento, Rogelson alegou que havia emprestado R$ 150 à vítima e no dia do crime foi cobrar a dívida, mas Leonardo Monteiro estava alcoolizado e partiu para agressão. Segundo ele, ao se defender com uma perna-manca, desferiu três pauladas contra Leonardo.

Agenda
Nesta terça-feira (14), a 3ª Vara do Tribunal do Júri vai realizar duas sessões de julgamentos. No primeiro processo, Paulo Vitor Ferreira Santana vai a júri popular pelo crime de homicídio qualificado contra Jony Reis Pontes. Esta sessão vai ser presidida pelo juiz de direito Rômulo Garcia Barros Silva. No segundo processo, que terá a sessão presidida pelo juiz de direito Adonaid Abrantes Tavares, Émerson Santos de Lima vai a júri popular pelo crime de homicídio qualificado contra Frednilson Souza Ribeiro.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso