Assassinato de prefeito teria sido motivado por cancelamento de contrato e empresário é suspeito de envolvimento

O contrato é referente ao serviço de transporte escolar fornecido pelo empresário à prefeitura desde 2005.

Redação AM POST*

Um empresário do setor de transporte, que não teve a identidade divulgada, é um dos suspeitos de envolvimento no assassinato do prefeito de Ribeirão Bonito (SP), Chiquinho Campaner, morto com quatro tiros no dia 26 de dezembro do ano passado. O motivo seria o cancelamento de um contrato de transporte escolar ocorrido em 2018 e a falta de pagamento de serviços prestados à prefeitura, segundo a Polícia Civil.

O homem é considerado foragido, após policiais irem até a casa dele e não o encontrarem. Objetos que podem ajudar nas investigações foram apreendidos.

O vigilante Cícero Alves Peixoto, também suspeito de participar do homicídio, foi preso na noite de quinta-feira (2) em São Paulo, confessou o crime e deu detalhes de como aconteceu o assassinato. Ele admitiu ser coautor do crime, mas afirma que não foi o responsável pela execução.

Em coletiva de imprensa durante a tarde desta sexta-feira (3), a polícia disse que a motivação do crime foi o cancelamento do contrato referente ao serviço de transporte fornecido pelo empresário, que prestava serviços para a prefeitura desde 2005.

“Houve troca da empresa que fazia o transporte escolar. O empresário nunca se conformou com isso, sofreu vários prejuízos”, disse o delegado Geraldo Souza Filho. Inconformado, o suspeito teria planejado a emboscada que terminou com a morte do chefe do Executivo municipal.

Uma gravação telefônica feita em 2018, que mostra uma discussão entre o prefeito e o empresário, voltou a circular nas redes sociais após o crime. Nela os dois trocam ofensas e ameaças.

*Com informações do G1