Enfermeira é acusada de tentar matar cinco bebês com morfina

Mulher está em prisão preventiva enquanto é investigada.

Agência EFE

O Ministério Público de Ulm, no sul da Alemanha, acusou nesta quinta-feira (30) uma enfermeira de dar morfina de forma injustificada a cinco bebês prematuros, colocando a saúde deles seriamente em risco.

A polícia e os promotores relataram, em uma declaração conjunta, que a jovem está em prisão preventiva enquanto é investigada por cinco tentativas de homicídio e ferimentos físicos graves. A enfermeira nega a acusação.

A investigação começou após uma denúncia, que surgiu na clínica onde a enfermeira trabalhava, na cidade de Ulm. Em 20 de dezembro do ano passado, cinco recém-nascidos prematuros sofreram problemas respiratórios graves simultaneamente.

A rápida intervenção da equipe médica evitou consequências fatais, mas o caso despertou suspeitas.

Inicialmente foi cogitado uma infecção, mas os testes realizados nos cinco bebês detectaram, em pelo menos dois casos, a presença de morfina na urina deles.

Segundo o procurador-geral da Ulm, Christof Lehr, a polícia apreendeu no armário da enfermeira uma seringa de leite materno onde a substância foi encontrada. Isso levou à prisão da acusada.