Ministro Ricardo Sales confirma que Secretaria da Amazônia terá sede em Manaus

O convite para o ministro vir à Manaus e explicar o funcionamento da nova pasta foi feito pelo Delegado Pablo.
31/01/2020 18h22 - Atualizado em 31/01/2020 18h22

Foto: Divulgação


Redação AM POST*

Durante visita a Manaus, o ministro do Meio-ambiente, Ricardo Sales, confirmou nesta sexta-feira (31) que secretaria da Amazônia, anunciada dia 21 de janeiro pelo presidente Jair Bolsonaro, será sediada na capital amazonense. O convite para o ministro vir à Manaus e explicar o funcionamento da nova pasta foi feito pelo deputado federal, Delegado Pablo (PSL), na semana passada.

Entre as atribuições da secretaria estão: o apoio a projetos de bioeconomia (ou economia ecológica), o reaquecimento do ecoturismo amazônico, o combate ao desmatamento ilegal e a inclusão social de milhares de ribeirinhos.

Com a nova secretaria, o ministério do Meio Ambiente busca acelerar projetos e ações voltados à bioeconomia, ao ecoturismo, à regularização fundiária e tirar da extrema pobreza milhares famílias de ribeirinhos.

Para auxiliar na execução dos projetos, o deputado Delegado Pablo colocou a Frente Parlamentar em Defesa da Amazônia, que existe no Congresso Nacional, para atuar em parceria com a secretaria da Amazônia.

A frente parlamentar é presidida pelo deputado Pablo e reúne mais de 280 parlamentares de todas as regiões do País, com destaque para representantes dos nove Estados que abrangem a Amazônia (Amazonas, Pará, Acre, Rondônia, Roraima, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão).

“A nova secretaria ficará em Manaus e vai coordenar ações em todos os Estados que abrangem a Amazônia”, destacou Pablo. “Essa proximidade facilitará a promoção do desenvolvimento sustentável em toda região, por isso a união com a frente parlamentar é tão importante”, acrescentou.

O ministro Ricardo Salles reconhece que para haver preservação é necessário que haja reconhecimento da floresta como atividade econômica que gere desenvolvimento sustentável e inclusão da população. “Estamos falando de 20 milhões de habitantes que vivem na região mais rica no mundo em biodiversidade, mas com o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do País”, comparou o ministro.

Durante conversa com jornalistas, o ministro ressaltou que houve uma incapacidade de ex governos em transformar as riquezas da biodiversidade amazônica em melhoria de vida para os povos da região. “O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza”, afirmou o ministro.

Questionado sobre a importância da Zona Franca de Manaus para a preservação do meio ambiente, Ricardo Salles disse que o governo Federal deve manter os incentivos ao polo industrial, porém é necessário abrir mais espaço para a bioeconomia.

Região do Purus ganhará Zona Ecológico Econômica
A criação da Zona de Desenvolvimento Ecológico Econômica (ZEE) do Purus também foi anunciada pelo ministro Ricardo Salles e pelo deputado Delegado Pablo. A ZEE-Purus, que está pronta para ser colocada em prática pelo governo Federal, beneficiará os municípios de Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama, Tapauá e Beruri, na calha do rio Purus.

Com a criação da ZEE, os municípios receberão apoio para desenvolver suas aptidões naturais, como exploração sustentável de recursos hídricos, minerais, vegetais, produção pesqueira e ecoturismo.

“É uma ótima notícia para os moradores da calha do Purus, que há décadas sonham com a aprovação da ZEE. Será uma alternativa de desenvolvimento para milhares de famílias”, completou Pablo.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso