Polícia inicia investigações para identificar grupo que esquartejou e queimou suspeito de estupro em Fonte Boa

Além disso foi enviado reforço policial para o município depois que populares depredaram a delegacia e viaturas.
18/01/2020 14h21 - Atualizado em 19/01/2020 15h18

Foto: Reprodução


Redação AM POST*

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) enviou reforço policial para o município de Fonte Boa (a 678 quilômetros de Manaus) na manhã deste sábado (18/01), depois que populares depredaram a delegacia e viaturas, e mataram Ronald Gomes Borges, que estava preso pelo crime de estupro de vulnerável. Ronaldo foi preso na noite da última quinta-feira (16/01), após ser identificado como autor do crime que vitimou uma menina de 10 anos.

De acordo com o delegado geral adjunto, Orlando Amaral, hoje foram enviados policiais civis do Grupo de Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), perito criminal. Ontem, reforços policiais militares dos municípios de Tefé, Coari e Manacapuru foram para a cidade. Os policiais civis já iniciaram as investigações para identificar quem foram os autores do homicídio de Ronald.

“A delegacia foi apedrejada, a viatura da PM foi danificada. O Estado não pode permitir que a população promova essa desordem, o Estado tem que se posicionar, então essas pessoas serão identificadas e serão punidas, pois também cometeram crime. Estamos enviando policiais para apurar os fatos, vamos identificar nas imagens, se tiver que efetuar a prisão em flagrante de quem fez isso, vamos efetuar, senão vamos trabalhar com prisão preventiva. Os detalhes estão sendo apurados”, afirmou Orlando Amaral.

Conforme o chefe de Estado Maior da Polícia Militar, coronel Ronaldo Negreiros, nos vídeos é possível ver um grande número de pessoas invadindo a delegacia, ateando fogo às viaturas e jogando pedras. No local, haviam policias civis, militares e guardas municipais.

“Nós temos ali aproximadamente 15 policiais. Nós repelimos a ação, a justiça pelas próprias mãos, pois temos um Estado de Direito, e esse estado precisa ser respeitado. O crime em si é hediondo, mas nós somos braço armado do Estado, somos responsáveis por conter, prender e colocar o indivíduo à disposição da justiça. Com essa ação criminosa, quem vai ficar prejudicado pelo trabalho da polícia vai ser a população do município, pois temos viaturas danificadas, uma delegacia danificada. Então nós repudiamos esse ato em si. Um crime não pode justificar a prática de outro crime”, comentou o coronel.

Sobre dois disparos efetuados, o chefe de Estado Maior garantiu que a polícia agiu de forma correta e que um erro poderia ter gerado uma situação prejudicial à população de Fonte Boa. “A reação foi à altura. O policial teve que fazer uso da força na mesma proporção. Hoje, a informação que temos é que o município está pacificado, está tranquilo”, finalizou o coronel Ronaldo Negreiros.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso