Prefeito de Tabatinga questiona crime contra médico colombiano: “atentado ou uma farsa?”

Saul Bemerguy disse que o crime pode ter sido uma farsa, porque o homem saiu com poucos ferimentos do hospital.
23/01/2020 19h02 - Atualizado em 24/01/2020 13h27

Foto: Reprodução


Redação AM POST*

O prefeito do Tabatinga, Saul Bemerguy (PSD), usou suas redes sociais para questionar o ataque sofrido pelo médico colombiano Rogélio Campuzano Cachaya, de 44 anos, baleado no dia 13 de janeiro com três tiros, sendo dois na cabeça e um no ombro, quando saía da clínica onde trabalha no município, distante 1.105 quilômetros de Manaus. Ele também pediu apoio das autoridades competentes para esclarecer o caso.

Para Saul Bemerguy o crime pode ter sido uma farsa, porque o homem saiu com poucos ferimentos do hospital.
Saul Bemerguy o crime pode ter sido uma farsa, porque o homem saiu com poucos ferimentos do hospital. “O povo de Tabatinga e eu quero saber. Foi um atentado ou uma farsa? Até porque o cidadão entrou no hospital depois de levar vários tiros e saiu com um arranhão na cabeça, onde ninguém sabe se é de bala. Pode ser de corte”, questionou ele em vídeo.

Um homem, ainda não identificado, chegou ao local e efetuou os disparos contra a vítima. Rogélio estava acompanhado de sua namorada que também foi atingida no braço.

“Todo mundo sabe também que a ficha do doutor Rogelio na sua vida pregressa não é muito boa. Ele tem seus problemas também. Eu não vou é ficar sendo acusado calado [..]. Não vou de hipóteses alguma tolerar e deixar que as pessoas, passem a denegrir minha imagem. Isso não. Eu tenho família, e eu tenho respeito pelas as pessoas. Que as autoridades apurem”, completou.

Veja vídeo:

Peço encarecidamente que as autoridades esclareçam esse fato o mais rápido possível. Eu não vou me calar, não vou…

Gepostet von Saul Nunes Bemerguy am Dienstag, 14. Januar 2020

Outro lado
No dia do crime o deputado federal Sidney Leite (PSD) também falou sobre o caso e afirmou que o médico colombiano havia lhe falado sobre ameaças de um adversário local. A revelação foi feita em live nas redes sociais do parlamentar.

De acordo com Sidney o crime soa como um atentado político devido o protagonismo que o médico tem tido na cidade, sendo líder de intenção de votos para a Prefeitura de Tabatinga. Rogélio também se candidatou a deputado estadual em 2018 pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN), recebendo 17.157 votos, mas não conseguiu se eleger e também cumpriu pena de prisão na Colômbia por envolvimento com o narcotráfico.

Sidney Leite também pediu providencias da Secretaria de Segurança Pública do Estado para encontrar o autor e mandante do crime. “Estou solicitando oficialmente providências ao secretário de Segurança e ao governador do Estado no sentido de identificar o autor e mandante deste atentado e desejo melhoras e breve recuperação ao doutor Rogélio Campuzano”, disse.

Veja vídeo:

Recebi com muita surpresa e indignação a notícia do atentado à vida contra o doutor Rogélio Campuzano, que levou três tiros na noite deste domingo, 12 de janeiro, em Tabatinga, onde mora. Esse ato soa como um atentado político, haja vista o protagonismo que Rogélio tem tido na cidade: foi um dos mais bem votado na eleição de 2018 para deputado estadual e, agora, aparece como líder de intenção de votos para a Prefeitura de Tabatinga. Não é com violência e ódio que se constrói a democracia. Campuzano já havia me revelado que vinha sofrendo ameaças de um adversário local. Estou solicitando oficialmente providências ao secretário de Segurança e ao governador do Estado no sentido de identificar o autor e mandante deste atentado e desejo melhoras e breve recuperação ao doutor Rogélio Campuzano.

Gepostet von Sidney Leite am Montag, 13. Januar 2020


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso