Flamengo vence o Del Valle e conquista a Recopa Sul-Americana

Troféu internacional é o terceiro do Flamengo em apenas um mês de temporada em 2020.
27/02/2020 07h28 - Atualizado em 27/02/2020 07h28

Foto: Reprodução


Folhapress

No duelo entre o campeão da Libertadores e o da o Sul-Americana do ano passado, o Flamengo bateu o Independiente del Valle, do Equador, por 3 a 0, no Maracanã, na noite de quarta-feira (26), e se sagrou campeão da Recopa Sul-Americana.

Assim como em novembro, contra o River Plate, da Argentina, Gabigol foi o nome do título. O camisa 9 abriu o placar e participou ativamente do lance que gerou o segundo gol do clube rubro-negro -marcado por Gerson. Ele ainda marcou mais um, já nos minutos finais.

Essa foi a terceira taça levantada pelo Flamengo em 2020. A equipe comandada por Jorge Jesus conquistou a Supercopa do Brasil, a Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca) e, agora, a Recopa Sul-Americana.

O JOGO

Com o Del Valle adotando um estilo de jogo com mais toque de bola na saída, o Flamengo aproveitou para iniciar o jogo pressionando a marcação já desde o campo de ataque. Apesar de alguns espaços deixados na intermediária, não demorou a abrir o placar.

Em uma das oportunidades em que conseguiu encaixar e não deixar lacunas, o Del Valle se enrolou e deu um “presente” para Gabigol. Segovia tentou, de cabeça, recuar a bola para o goleiro, mas a cabeçada foi muito forte e Pinos teve de salvar, mas o camisa 9, sozinho, aproveitou o rebote e balançou a rede.

Com o gol que abriu o placar da final da Recopa Sul-Americana, Gabigol igualou a marca de Fred como artilheiro do novo Maracanã. Após reformar, o estádio foi reinaugurado em 2013. Ambos têm 30 gols.

Porém, o momento de êxtase foi seguido de frustração. Quatro minutos após o gol, o volante Willian Arão acabou sendo expulso por atingir o peito do jogador Caicedo com as travas da chuteira. Até ser expulso, o jogador exercia um papel de um atacante na hora da tentativa de retomar a bola.

Após a expulsão, o Del Valle conseguiu ter uma presença maior no campo de ataque e fez com que o goleiro Diego Alves tivesse de fazer boas defesas. O Flamengo, por sua vez, encontrava-se um pouco mais recuado e se viu obrigado e ter atenção redobrada no campo de defesa.

A expulsão de Willian Arão tornou o jogo mais complicado para o Flamengo, que viu o Del Valle crescer e pressionar os donos da casa em seu campo de defesa.

Quando o placar ainda apontava 1 a 0, a torcida sentiu o momento delicado e decidiu jogar com a equipe. Inflamada na arquibancada, a torcida incendiou o time, que correspondeu com muita luta dentro de campo.

As equipes retornaram sem mudanças. O Flamengo se mostrava um pouco mais organizado no meio de campo, mas, ainda assim, o Del Valle conseguia espaços. Logo no início, inclusive, um susto para os rubro-negro: Faravelli saiu na cara de Diego Alves, que fez grande defesa.

Depois de abrir o placar, Gabigol voltou a ser importante. O jogador recuou um pouco, buscou a jogada e conseguiu, em uma arrancada, chegar à linha de fundo. Ele cruzou e, após desvio da defesa, Gerson apareceu para ampliar a vantagem.

Próximo ao fim do jogo, Cabeza deu um pisão em Léo Pereira e foi expulso. Assim como no caso do Arão, o cartão vermelho aconteceu após o árbitro ir ao VAR. O jogo ficou com 10 para cada lado. Quase no apito final, o Flamengo ainda teve tempo de fazer mais um. Gabigol lançou Vitinho, que achou o camisa 8. Ele bateu e fez o terceiro, sacramentando de vez a vitória.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso