Motorista de app que disse que “short Anitta” motivou assédio a passageira é investigado por crime de difamação

A vítima gravou conversa com o motorista em um carro de aplicativo no último domingo (16) e registrou boletim de ocorrência.
21/02/2020 17h03 - Atualizado em 21/02/2020 17h04

Foto: Jonas Campos


Redação AM POST*

O motorista de aplicativo, André Lopes Machado, de 43 anos, investigado por supostamente assediar uma jovem em Viamão, no Rio Grande do Sul, também vai responder por crime de difamação, conforme informação da delegada da Delegacia da Mulher da cidade, Marina Dillenburg, após depoimento da jovem de 18 anos.

Segundo a delegada, “houve crime contra a honra nas manifestações dele” em declarações dadas pelo acusado a jornalistas na terça-feita (18). Numa delas, o motorista afirmou que a adolescente “estava com um short do ‘tipo Anitta’, uma miniblusa, com as pernas abertas no banco, me chamando atenção”.

A cantora usou as redes sociais para comentar o caso e criticar o motorista. Andreé Lopes Machado já é investigado pelo crime de perturbação da tranquilidade. Em nota, a Uber informou que a conta do motorista foi banida do aplicativo.

“Ela disse que estava com nojo do que ele estava falando. Eu expliquei para ela o que era o crime de difamação, que ela poderia fazer o registro e representar ou não ele criminalmente, e a representação seria o start para eu instaurar o procedimento policial. E ela disse que sim, que gostaria”, conta a delegada.

Ele deve ser chamado para depor nesse novo processo. A delegada explica ainda que se trata de um crime de menor potencial ofensivo. “Por isso, em princípio, se instaura um termo circunstanciado, que é um procedimento mais enxuto. É levado ao judiciário em 15 dias e não chega a virar processo quando se é feita a transação penal”, explicou.

A delegada disse ainda que André “nega que tenha assediado a menina”. “Ele comentou que está sendo injustiçado, que ele teve de deletar os perfis de mídia social, que está repercutindo muito forte na vida dele, mas nega e entende que não houve assédio.”

Assédio gravado
A jovem, que no dia do suposto assédio tinha 17 anos, gravou um vídeo e divulgou nas redes sociais. Nas imagens, é possível ouvir o momento em que a jovem diz ser menor de idade ao motorista André Lopes Machado. Ele, no entanto, rebate e afirma que “não seria um problema”.

O homem, então, continua: “Seria problema se tivesse 13 anos, e acho que tu não tem 13 anos, 14 para cima tu já é responsável”.

Depois de postar os vídeos em uma rede social, a jovem recebeu relatos de outras adolescentes dizendo que já conheciam o motorista e que tinham passado pela mesma situação. De acordo com a delegada, não há denúncia de outros casos envolvendo o motorista.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso