Cinco mil demissões são esperadas no comércio de Manaus devido pandemia do coronavírus

CDL-Manaus estima queda de 25% a 35% nas vendas do comércio da capital.

Redação AM POST*

Comerciantes de Manaus já começam a sentir os efeitos econômicos causados pela incidência do novo coronavírus (Covid-19) que já gerou prejuízos visíveis com lojas vazias na capital. A estimativa é que a queda nas vendas já está em torno de 25% a 35%, conforme informação da Câmara Dirigente dos Lojistas de Manaus (CDL-Manaus). Como a tendência é que o cenário piore, são esperados cinco mil desligamentos de trabalhadores do setor.

“Esperamos que o número de pessoas infectadas não cresça, pois poderemos correr o risco de chegar em um fechamento absoluto. Com isso, as vendas irão cair mais ainda e poderemos chegar a um número alarmante de pessoas desempregadas”, avaliou o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag.

De acordo com ele os lojistas estão sendo orientados a reduzirem seus horários de trabalho e que seguirem as recomendações da Secretária de Saúde. Todos estão optando pelo uso do álcool em gel para os funcionários e clientes. Manaus tem dois casos confirmados de Covid-19.

Segundo o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fecomercio-AM), Aderson Frota, a categoria prende pedir que o governo do Amazonas reduza multas. “Buscamos conversar com outros setores econômicos e, também, com o governador, para propor que exista redução de multas para empresas que não puderem pagar os impostos do mês, além da suspensão do contrato de trabalho para que os funcionários possam ser socorridos pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)”, explicou.