Givancir Oliveira tem prisão preventiva decretada

Ele está temporariamente preso em Manaus, mas será transferido para Iranduba.
31/03/2020 19h25 - Atualizado em 31/03/2020 19h27

Foto: Reprodução


Redação AM POST*

O juiz da 2ª Vara da Comarca de Iranduba, Carlos Jardim, converteu na manhã desta terça-feira (31) a prisão temporária em preventiva do ex-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, acusado de participação no assassinato de Bruno Guimarães Freitas e tentativa de homicídio contra Thelssy dos Santos Freitas ocorrido no município de Iranduba (distante 19,89 quilômetros de Manaus).

Baseado em provas obtidas durante a investigação, o delegado Geraldo Eloy, titular do 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP) do município, apresentou representação pedindo a conversão de prisão e foi atendido pelo magistrado.

A prisão temporária ocorre durante a fase de investigação do inquérito policial e é utilizada para que a polícia ou o Ministério Público colete provas para, depois, pedir a prisão preventiva, decretada quando houver indícios que liguem o suspeito ao delito.

Givancir Oliveira está temporariamente detido em um DIP de Manaus, mas será transferido para Iranduba, distrito da culpa, onde vai ficar a disposição da Justiça.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso