Presos do CDPM 2 concluem reforma de campo de futebol na zona norte de Manaus

Os reeducandos atuaram nos serviços de roçagem do terreno, concretagem, pintura das paredes externas e limpeza do pavimento para remoção de detritos, entre outros serviços de apoio.

Redação AM POST*

Cerca de 20 reeducandos do Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2) concluíram nesta sexta-feira (13/03) os trabalhos de revitalização do campo de futebol da Liga Desportiva do Amazonino Mendes, conhecido como Campo do Lidam, no bairro Mutirão, zona norte de Manaus. A ação faz parte do projeto de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”, promovido pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a empresa de cogestão Embrasil Serviços.

Os reeducandos atuaram nos serviços de roçagem do terreno, concretagem, pintura das paredes externas e limpeza do pavimento para remoção de detritos, entre outros serviços de apoio. O gerente de unidade da Embrasil, Eliel Correia Ferreira, lembra que, para desenvolver as atividades, os reeducandos selecionados passaram pelo curso de qualificação profissional promovido pela empresa de cogestão nas áreas de Construção Civil, Mecânica e Elétrica.

O projeto “Trabalhando a Liberdade”, além de beneficiar os reeducandos com a diminuição da pena, também promove o aperfeiçoamento de habilidades. “Esse projeto ajuda a reintegração futura dos detentos à sociedade, uma vez que eles voltam a conviver com diferentes tipos de pessoas, que passam a vê-los não só como detentos, mas como cidadãos que estão fazendo a sua parte para a melhoria da cidade”, destacou Ferreira.

O secretário executivo adjunto da Seap, coronel André Luiz Barros Gioia, visitou a obra e acompanhou de perto o trabalho dos internos no Campo do Lidam. Segundo ele, atualmente, o “Trabalhando a Liberdade” é um dos principais projetos de ressocialização da Seap, com atividades extramuros, que vem alcançando grandes resultados.

“É importante não só para a vida social, mas também para o lazer de quem vive no bairro. Além de dar uma nova profissão aos reeducandos, o objetivo é reduzir os custos do Estado com o uso da mão de obra carcerária”, comentou Gioia.

O diretor de esportes da Lidam, Basílio Monteiro da Silva, destacou que a revitalização na estrutura de lazer era uma demanda antiga da comunidade. “É uma honra para nós, moradores, após tantos anos e tantos gestores, recebermos o local revitalizado, isso só nos faz acreditar que existe sim humanização na gestão pública ainda quando se trata de um trabalho feito pelos reeducandos, pessoas que querem uma nova oportunidade para voltar ao convívio da sociedade”, declarou Basílio, morador da comunidade.

O projeto “Trabalhando a Liberdade” concede aos reeducandos um dia da pena reduzida a cada três dias de trabalho, benefício previsto na Lei de Execução Penal (LEP), Lei 7.210/1984. A previsão é que o Campo do Lidam será inaugurado no dia 31 deste mês.