Prisão preventiva de Alejandro Valeiko é decretada pela Justiça

O mandado foi cumprido nesta terça-feira (17) e ele deve voltar para presídio.
17/03/2020 17h33 - Atualizado em 17/03/2020 18h03

Foto: Reprodução/A Crítica


Redação AM POST*

Foi decretada ontem (16) a prisão preventiva de Alejandro Molina Valeiko, 30 anos, filho da primeira-dama do município Elizabeth Valeiko, acusado de envolvimento no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues, encontrado morto no dia 30 de setembro de 2019. A decisão é da juíza da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Ana Paula Braga.

O mandado foi cumprido nesta terça-feira (17) e ele passou por Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, com o juiz plantonista Eliezer Fernandes, feita por meio de uma videoconferência para evitar a propagação do Coronavírus. Em seguida Alejandro foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito e depois conduzido a central de triagem onde vai ficar preso. Amanhã (18) ele segue para o Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM1).

Alejandro estava a quase três meses em liberdade provisória, cumprida em sua residência, por força de uma liminar expedida pelo STJ, que foi cassada na quinta-feira (12).

Os advogados Yuri Dantas e Marco Aurélio Choy, que compõem a defesa de Alejandro, pediram na última quinta-feira (13) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a revogação da prisão preventiva decretada pela Central de Inquéritos Policiais da Comarca de Manaus, colocando como um dos motivos a pandemia de coronavírus (covid-19), anunciada na segunda-feira (9) pela Organização Mundial de Saúde.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso