Prostitutas bolivianas protestam contra toque de recolher por coronavírus

Desde domingo, o país se encontra em uma quarentena total obrigatória de 14 dias, que implica o fechamento de comércios e empresas.
23/03/2020 19h48 - Atualizado em 23/03/2020 20h47

Foto: Reprodução


Reuters

Um toque de recolher noturno imposto pela presidente interina da Bolívia para tentar deter a propagação do coronavírus no país enfrenta a oposição das profissionais do sexo, que dizem que a medida põe em risco seu meio de vida já precário.

Em uma vizinhança de El Alto, uma cidade satélite empobrecida da capital La Paz, mais de 50 estabelecimentos com licença para funcionar foram forçados a fechar depois que o governo boliviano impôs um toque de recolher diário das 18h às 5h.

Desde domingo, o país se encontra em uma quarentena total obrigatória de 14 dias, que implica o fechamento de comércios e empresas.

Uma profissional do sexo que se identificou como Grisel disse que normalmente cuidava dos três filhos durante o dia e trabalhava de noite. Como muitas prostitutas bolivianas, ela forma parte de um grupo de profissionais do sexo — a prostituição é legal no país, mas não sua formalização.

“Nem ganhamos muito dinheiro porque hoje em dia há muita concorrência”, disse Grisel. “Estou trabalhando porque preciso, mas também estou me cuidando. Sempre me cuidei, mesmo antes que aparecesse esta doença (coronavírus)”, acrescentou.

Lily Cortés, representante do sindicato de profissionais do sexo da Bolívia, disse que, se os estabelecimentos legais não puderem funcionar, “lamentavelmente nós, profissionais do sexo, vamos sair às ruas, e o remédio será pior que a doença”.

“Também somos parte desta sociedade da Bolívia”, disse Cortés. “Somos profissionais sexuais, somos mulheres, tias, avós, que vivemos dia a dia, também deveriam se preocupar a que hora vamos trabalhar… deveriam nos dar das 8 da manhã às 13:00”, acrescentou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso