Vítima fatal de coronavírus no Amazonas será cremada em Iranduba

Serviço será realizado por uma empresa privada, conforme informou o governador do Amazonas, Wilson Lima, durante transmissão ao vivo.
25/03/2020 18h25 - Atualizado em 26/03/2020 12h36

Foto: Reprodução


Redação AM POST*

O corpo do empresário Geraldo Sávio, primeira vítima fatal do novo coronavírus (covid-19) no Amazonas, deverá ser cremado no município de Iranduba, distante 30 quilômetros de Manaus, por uma empresa privada, conforme informou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), durante transmissão ao vivo com as atualizações sobre o avanço da covid-19 no Estado. Morador de Parintins, o homem de 49 anos, faleceu no início da noite de terça-feira (24/03) no Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte de Manaus.

Geraldo Sávio veio para Manaus em UTI aérea e foi internado no último sábado (21/03), com quadro de insuficiência respiratória com grave comprometimento pulmonar. Ele era portador de hipertensão arterial sistêmica. No último domingo, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória, mas foi prontamente socorrido e estabilizado, sendo acompanhado pela equipe médica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HPS Delphina Aziz. Ontem, o paciente apresentou parada cardio-pulmonar, instabilidade hemodinâmica e nova parada cardiorrespiratória. A equipe procedeu manobras de ressuscitação, contudo o paciente não resistiu veio óbito no início da noite.

De acordo com o prefeito de Parintins, Bi Garcia, o empresário pode ter contraído o vírus em viagem feita ao município de Nhamundá (distante 382 quilômetros a leste de Manaus), onde foi para participar de um encontro de pescadores. Ao retornar ele apresentou os sintomas da covid-19 e foi isolado.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso