Ciro chama Bolsonaro de ladrão, critica Mandetta e culpa Lula

O ex-governador reforçou suas críticas aos petistas, culpando o partido por Bolsonaro estar no Planalto.
10/04/2020 07h44 - Atualizado em 10/04/2020 07h44

Foto: Reprodução


Candidato a presidente na última eleição, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) criticou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), que está com a sua popularidade em alta em razão da conduta frente à crise do novo coronavírus.

Em entrevista, Ciro também voltou a defender a renúncia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), culpou o PT por ele estar no Planalto e atacou o ministro da Economia, Paulo Guedes.

“Carrapato”

Mandetta, para o ex-governador, é um”carrapato” que está agarrado ao cargo de ministro e que não teve “dignidade” de renunciar após os embates com Bolsonaro a respeito de medidas pela prevenção à covid-19. O ministro, inclusive, viu seu cargo sob risco no início da semana.

Apesar da crítica a Mandetta, Ciro disse que “não está na hora de trocar por um [ministro] terraplanista, por um maluco, por um idiota, por um carreirista qualquer que se oferece para dizer o que o Bolsonaro quer que seja dito”.

Ao se mostrar a favor da renúncia de Bolsonaro, Ciro disse que ninguém pode ser mais “irresponsável” e “despreparado” que o atual presidente. Ao criticar o atual mandatário, o ex-governador também fez referência ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma das referências de Bolsonaro. Para ele, a recomendação de ambos pelo uso da cloroquina pode ser comparada a um “assassinato”.

“O que não pode é um político, seja ele quem for, [ir] contra os protocolos, contra o estabelecido pela ciência. Porque todo remédio tem uma contraindicação.”
Renúncia

O ex-governador relembrou que fez um pedido público pela renúncia de Bolsonaro junto com o ex-candidato do PT a presidente, Fernando Haddad. Mas Ciro reforçou suas críticas aos petistas, culpando o partido por Bolsonaro estar no Planalto. O PT foi um de seus principais alvos de crítica na campanha de 2018.

“Grande margem da nossa população aceita essas maluquices do Bolsonaro porque enjoada, indignada, cansada da corrupção generalizada do PT e com a pior crise econômica da história do Brasil produzida também pelo PT, foi por ódio.”boçal e corrupto que produziu a maior crise econômica da história do Brasil?”

“Ensinou aos filhos”

Sem apresentar provas, o ex-governador chamou Bolsonaro de ladrão e disse que o atual presidente mantinha funcionários fantasmas.

“Eu fui deputado junto com ele [Bolsonaro]. Vá na Câmara e compare os gastos de gasolina do meu gabinete com o gabinete do Bolsonaro no mesmo mês. Mês a mês. Vai ver quantos funcionários eu tinha no meu gabinete e quanto ele tinha no dele. Ele tinha seis funcionários fantasmas. Que só faziam assinar o recibo para ele colocar o dinheiro no bolso”, disse.

“Esse homem roubava dinheiro da gasolina do gabinete da Câmara. Esse homem roubava dinheiro de funcionário fantasma e ensinou essas práticas aos filhos”.

“Esse homem roubava dinheiro da gasolina do gabinete da Câmara. Esse homem roubava dinheiro de funcionário fantasma e ensinou essas práticas aos filhos”.

Para Ciro, a crise econômica do Brasil não é culpa do coronavírus. “A economia brasileira já estava vivendo na a pior década dos últimos 120 anos”, disse. Ele ainda afirmou que “estão aproveitando a crise para fazer uma rodada de canalhice para jogar dinheiro público aos trilhões de reais no sistema financeiro”.

“Vai terminar essa crise, a economia vai afundar uns 6%, tem estudos das Nações Unidas falando em até 11%. Não há o que fazer a não ser mitigar e os bancos vão registrar lucro neste ano trágico da vida brasileira e mundial”, afirmou.

Para ele, as medidas apresentadas pela equipe econômica à população para minimizar o impacto do novo coronavírus é “vender o jantar para pagar o almoço”.

Fonte: UOL


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso