Josué Neto faz denúncia e governo do Amazonas diz que não está “mandando queimar ou trancar” EPIs

O Estado afirma que ainda não recebeu denúncia formal do deputado sobre as acusações.

Redação AM POST*

A Secretaria de Comunicação Social (Secom) divulgou nota nesta tarde rebatendo denúncias feitas pelo presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Josué Neto (PRTB), durante a Sessão Virtual desta quarta-feira (29), entre elas, a de que os equipamentos de proteção individual (EPIs) doados pela iniciativa pública e privada estão sendo inutilizados pelo Governo do Amazonas.

“Os EPIs doados pela iniciativa privada inclusive os EPIs doados pelo Programa Assembleia Viva, da Assembleia Legislativa, estão sendo inutilizados. Ou estão mandando queimar ou estão mandando trancar. Não podem ser utilizados pelos servidores da área da saúde, pelos administrativos e pelos enfermeiros e eu tenho como provar isso”, afirmou Josué Neto que também disse que vai oficializar denúncia ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

Leia nota na íntegra do Governo do AM:
O Governo do Amazonas repudia veementemente a acusação do presidente da Assembleia Legislativa (ALE-AM), Josué Neto, de que o Estado está “mandando queimar ou trancar” EPIs doados pela iniciativa privada e pela ALE-AM.

O Governo do Amazonas assegura que todas as doações recebidas, que se destinam à rede estadual de saúde, são direcionadas para a Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), de onde são dispensadas diariamente para as unidades de saúde, conforme demanda apresentada pelos gestores das mesmas. A centralização foi adotada para que o Estado tivesse o controle efetivo da distribuição das doações.

O Governo do Amazonas afirma, ainda, que não recebeu denúncia formal do deputado sobre as acusações, como requer em se tratando de grave denúncia, sobretudo quando se há interesse de fato que se apure a verdade.

O Governo do Estado tem total interesse em esclarecer os fatos e vai solicitar, formalmente, que o deputado comprove as acusações, até para que procedimentos internos sejam adotados, caso tenha havido alguma medida que não esteja de acordo com as orientações da Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

Por fim, o Governo do Amazonas coloca a Susam e a Cema à disposição para prestar qualquer esclarecimento, não somente à ALE-AM, mas a todas as empresas que doaram e que até aqui depositaram total confiança no Estado.