Médica é assassinada pelo namorado, que justificou o crime afirmando que ela o teria contaminado com covid-19

Ele a estrangulou e depois tentou se suicidar, cortando os pulsos.
02/04/2020 12h23 - Atualizado em 2/04/2020 14h04

Foto: Reprodução


A médica italiana Lorena Quaranta , de 27 anos, foi assassinada pelo próprio namorado, o enfermeiro Antonio De Pace , de 28 anos, na região de Furci Siculo, localizada na Sicília. De acordo com o que foi relatado pela polícia à imprensa local, De Pace estrangulou a parceira por acreditar que ela o havia contaminado com a Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus.

Depois de cometer o crime, o enfermeiro contatou a polícia, na última terça-feira (30), e confessou o crime. Antes disso, ele tentou se suicidar, cortando os pulsos. “Eu matei ela porque ela me passou coronavírus”, disse De Pace aos investigadores após ser levado em custódia.

De acordo com a agência italiana de notícias Adnkronos, tanto a médica como o namorado testaram negativo para Covid-19 . O casal trabalhou junto em um hospital siciliano no tratamento de pessoas com a doença.

A Itália é o segundo país mais afetado pela pandemia do novo coronavírus, com 110.574 casos confirmados e 13.155 mortes causadas pela Covid-19, de acordo com dados da universidade norte-americana Johns Hopkins.

Fonte: Meia Hora


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso