“Ainda bem que a natureza criou o coronavírus”, diz Lula

Apesar de seguir com suas frases de efeito e ataques contra Bolsonaro, o petista segue enquadrado na Lei da Ficha Limpa, impedido de disputar eleições.
20/05/2020 13h13 - Atualizado em 20/05/2020 13h13

Foto: Reprodução


Nem a morte de quase 18 mil pessoas no Brasil parece sensibilizar o ex-presidente Lula sobre o respeito às vítimas da Covid-19 acima da política, ou do populismo, praticado por ele. Em uma recente entrevista para a Carta Capital, o ex-chefe do Executivo chegou ao ponto de “agradecer a natureza” pela criação do coronavírus.

– Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus, porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o estado é capaz de dar solução a determinadas crises – declarou.

Sem parecer se importar com os sentimentos das famílias, o próprio Lula afirmou que o vírus teria servido para alertar o governo do presidente Jair Bolsonaro sobre a importância de um Estado forte para conter o avanço da crise econômica.

Apesar de seguir com suas frases de efeito e ataques contra o presidente Jair Bolsonaro, o petista segue enquadrado na Lei da Ficha Limpa, impedido de disputar eleições. Lula permaneceu preso de 7 abril de 2018 a 08 de novembro de 2019 em uma cela especial da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Lula foi condenado em primeira, segunda e terceira instâncias sob a acusação de aceitar reformas e a propriedade de um tríplex, em Guarujá, como propina paga pela empreiteira OAS em troca de contrato com a Petrobras, o que ele sempre negou.

A pena do ex-presidente foi definida pelo Superior Tribunal de Justiça em 8 anos, 10 meses e 20 dias, mas o caso ainda tem recursos pendentes nessa instância e, depois, pode ser remetido para o STF.

Além do caso tríplex, Lula foi condenado em segunda instância a 17 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem no caso do sítio de Atibaia (SP).

O ex-presidente ainda é réu em outros processos na Justiça Federal em São Paulo, Curitiba e Brasília. Com exceção de um dos casos, relativo à Odebrecht no Paraná, as demais ações não têm perspectiva de serem sentenciadas em breve.

Veja o vídeo:

Fonte: Pleno.News


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso