Internautas associam vinda de nuvem de gafanhotos ao Brasil a pragas do Egito e teorizam sobre fim do mundo

Até o youtuber Felipe Neto entrou na onda: “se começarem a morrer os primogênitos eu me ferrei”.

Redação AM POST*

Muitos internautas trouxeram à tona as dez pragas do Egito, narradas na Bíblia, depois da notícia de que uma nuvem de gafanhotos virá ao Brasil. O combo, que já virou um dos assuntos mais comentados do Twitter na última terça-feira, inclui: a pandemia do coronavírus, o terremoto no México, a nuvem de gafanhotos na Argentina e – pasmem – a terceira temporada da série Dark, na Netflix.

O primeiro evento aconteceu na manhã de terça, quando um alerta de tsunami foi disparado para a costa do Pacífico, logo após um terremoto de 7,4 graus atingir diversas regiões do México e matar, ao menos, quatro pessoas.

O segundo foi o relato de uma nuvem de gafanhotos que levantou voo na província de Corrientes, na Argentina, e pode atravessar a fronteira com o Rio Grande do Sul. Segundo a Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentícia da Argentina), os insetos seguiram na direção sul e devem chegar à província de Entre Ríos.

Até os famosos da internet entraram na onda. “Puta merda, se começarem a morrer os primogênitos eu me ferrei. Como faz pra parar essas pragas do Egito?”, disse o youtuber Felipe Neto ao compartilhar uma reportagem sobre os gafanhotos.

Nesta semana a aproximação de uma nuvem de gafanhotos da região Sul do Brasil gerou preocupação de autoridades, produtores e da população. Hoje o Ministério da Agricultura declarou emergência fitossanitária em razão do fenômeno.

Segundo o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Dori Navas, caso a nuvem entre no Brasil, não há riscos aos humanos, no máximo dificuldade de deslocamento. O risco maior é para as plantações, que servem de alimento. Em uma eventual presença desses insetos, a medida de combate é o disparo de produtos tóxicos por aeronaves no local de concentração delas.

Confira, abaixo, algumas das teorias virtuais:

*Com informações do site iG Último Segundo