Mário Frias chama de ‘esmola’ auxílio de R$ 600 à trabalhadores da cultura

A comunista Jandira Feghali rebateu a fala do secretário de Cultura proferida em canal no YouTube do deputado Eduardo Bolsonaro.

Redação AM POST*

Em entrevista ao canal no YouTube do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o secretário especial de Cultura, Mario Frias, criticou a Lei Aldir Blanc que concede auxílio emergencial de R$ 600 aos trabalhadores do setor cultural. O prazo para sanção presidencial de Jair Bolsonaro do texto termina nesta segunda-feira (29).

“Artista não quer esmola. A maioria que eu vejo diz: ‘Me deixa trabalhar’. Não quero auxílio”, disse Frias, na entrevista, referindo-se aos R$ 600 que a Lei Aldir Blanc estabelece como ajuda.

Após repercussão da fala do secretário a relatora do texto que propôs o auxílio, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) rebateu às críticas. “Só os que não enxergam a real dificuldade do povo podem achar que não tem significado”, disse ela para a coluna de Chico Alves, do Uol.

A comunista acredita que apesar das declarações de Mario Frias, o presidente Jair Bolsonaro vai sancionar a lei.

Veja entrevista: