• Polícia descobre que único filho biológico de Flordelis e Anderson na verdade é adotado

    Depois do assassinato do pastor, a verdadeira mãe de Daniel foi procurada pela polícia e confirmou ser a sua mãe biológica.
    24/06/2020 11h52 - Atualizado em 24/06/2020 11h52

    Foto: Reprodução


    Investigações da Polícia Civil mostram que Daniel dos Santos, o único filho biológico dos 55 registrados pelo pastor Anderson do Carmo e pela deputada federal Flordelis, na verdade, tem outros pais. Os documentos foram obtidos com exclusividade pelo RJ2.

    Daniel é filho biológico de Janaína Manoel do Nascimento Barbosa e Luiz Otávio dos Santos, como mostra a declaração de nascido vivo do hospital onde foi feito o parto do menino, em 18 de janeiro de 1998.

    A ficha de internação obstétrica mostra que Janaína foi internada no dia em que deu à luz, em um hospital de Senador Camará, na Zona Oeste do Rio.

    O local fica a cerca de 35 quilômetros do endereço que aparece na certidão de Daniel.

    O menino tinha cinco meses quando foi registrado por Anderson do Carmo. De acordo com o documento, Daniel tinha nascido em 18 de janeiro, mas numa casa, no Jacaré, na Zona Norte do Rio. Foi lá que Anderson e Flordelis moraram juntos pela primeira vez. Por esta versão, a criança teria nascido na casa.

    Depois do assassinato do pastor, a verdadeira mãe de Daniel foi procurada pela polícia e confirmou ser a sua mãe biológica. Em depoimento, ela disse que entregou o filho à Flordelis e Anderson, no dia em que saiu da maternidade.

    Segundo Janaína, Flordelis se comprometeu a reconhecê-la como mãe legítima. “Não precisaria se preocupar, pois sempre seria a mãe verdadeira de Daniel. Flordelis disse que seria apenas a mãe de coração”, disse.

    Mas a certidão mostra que Flordelis mentiu. Não houve nem processo de adoção e, no documento, Daniel é declarado filho de Anderson e Flordelis. A deputada federal manteve essa versão até 21 de maio passado. Ao depor à polícia, ela contou que a criança não é seu filho biológico.

    A polícia também encontrou uma testemunha que aparece na certidão de nascimento de Daniel. É Carlos Ubiraci Silva, um dos 55 filhos de Flordelis e Anderson.

    Ele disse que não viu a gestação e que convivia na época com Flordelis. Carlos Ubiraci ainda contou que sabia que o filho não era do casal. Para Carlos, foi uma coisa normal ir até o cartório registrar a criança.

    Esta não é a primeira adoção a envolver Flordelis em polêmica. Em 2019, o Conselho Tutelar questionou a deputada sobre uma adolescente em situação irregular.

    Uma ex-funcionária da família, em depoimento à polícia, disse que Flordelis praticava maus tratos contra as crianças e que os filhos que trabalhavam eram obrigados a entregar todo o salário a Anderson.

    Ela relatou que a deputada agredia fisicamente os filhos, além de botar pimenta na boca da criança que falasse palavrão.

    A dúvida sobre a paternidade de Daniel surgiu com o depoimento da mãe de Anderson à polícia, depois do assassinato do pastor. Maria Edina do Carmo morreu de infarto em abril passado.

    “Ela afirma em seu depoimento que o Anderson não teve filhos com a Flordelis. E essa não é uma única mentira, uma falsa verdade contada pela Flordelis”, disse Ângelo Máximo, advogado da família do pastor.

    Em nota, a defesa da deputada Flordelis disse que “os fatos apresentados estão em sigilo da Justiça” e que é “vedado ao advogado fazer a defesa, por proibição legal”.

    Sobre Daniel, Flordelis ressalta que seus filhos “sempre foram bem cuidados e os mesmos podem falar a esse respeito”. A deputada diz ainda que segue contribuindo com as investigações, sempre que é requisitada pela Justiça.

    Pedido de socorro

    Os segredos que envolvem a família do casal não para por aí. Um ano depois do assassinato do pastor, em 16 de junho de 2019, outros elementos foram descobertos pelos investigadores do caso.

    O pastor Anderson foi morto com mais de 30 tiros em junho de 2019.

    Flávio dos Santos, filho biológico apenas de Flordelis, foi apontado como autor dos disparos que mataram o pastor. Ele foi preso no velório do padrasto. O pedido de socorro, minutos depois do crime foi, para a polícia, uma maneira de despistar o envolvimento dele com o crime.

    O RJ2 teve acesso à gravação telefônica feita por Flávio ao 190 da Polícia Militar:

    – Boa noite, com quem eu falo?

    – Você fala com o Flávio. Envia uma viatura aqui pra rua Cruzeiro número 45, o mais breve possível.

    – O que houve no local?

    – Não sei. A minhã mãe chegou aqui agora, ouviu um tiro, quando eu fui ver o marido dela tá aqui caído no chão. Não sei se foi tentativa de assalto, não sei o que foi. Pelo amor de Deus envia uma viatura o mais breve e uma ambulância também pra mim, por favor, cara.

    Reconstituição do crime
    A reportagem também obteve informações do laudo da reconstituição da morte de Anderson do Carmo. O documento feito pela perícia aponta Flávio dos Santos como o único a atirar no pastor.

    O outro irmão, Lucas dos Santos, é suspeito de fornecer a arma usada para matar Anderson. Lucas também está preso.

    Fonte: G1


    *** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


    Facebook

    Economia

    Contato Termos de uso