Wilson Lima não quis fornecer senha de celulares apreendidos na Operação Sangria

Em um dos endereços do governador em Manaus a PF encontrou a quantia de R$ 13,7 mil em uma gaveta.
30/06/2020 18h36 - Atualizado em 1/07/2020 13h12

Foto: Divulgação


Redação AM POST*

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), se recusou a fornecer a senha de dois celulares apreendidos nesta terça-feira (30) na Operação Sangria, deflagrada pela Polícia Federal para investigar fraude e superfaturamento nas ações de combate à pandemia do novo coronavírus no estado. A informação é da TV Globo que ouviu investigadores.

Wilson estava em Brasília quando os mandados de busca e apreensão autorizados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) foram cumpridos pela PF no aeroporto da capital federal. Além disso em um dos endereços do governador em Manaus foi encontrada a quantia de R$ 13,7 mil em uma gaveta.

Questionada sobre a recusa do político em entregar as senhas, a assessoria de Wilson Lima informou que o celular é de uso pessoal e não ajudaria na investigação. “O governador Wilson Lima tem a convicção de que o conteúdo do celular em nada iria contribuir com a investigação. Além disso, considera que tem o direito de preservar o conteúdo familiar visto que se trata de celular de uso pessoal”, diz o texto da nota.

*Com informações do G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso