Alessandra Campêlo é acusada de ameaçar servidora da Aleam após votação da Comissão do Impeachment

Segundo declaração, a deputada intimidou a servidora para que fosse acrescentado o voto do deputado Augusto Ferraz na homologação da comissão

Redação AM POST

A gerente de atas da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), servidora da Casa há aproximadamente 20 anos, alegou que foi ameaçada pela deputada Alessandra Campêlo (MDB). A declaração foi registrada na Comissão de Regime Disciplinar da Aleam na manhã dessa sexta-feira (10).

Segundo o relato da servidora, a votação da composição da Comissão Especial do Impeachment do governador e vice-governador, Wilson Lima (PSC) e Carlos Almeida Filho (PTB) realizada na última quinta-feira (9), estava invalidada pois não se obteve o quórum mínimo de 13 deputados.

Ao perceber isso, a deputada Alessandra Campêlo ligou para a servidora informando que o deputado Augusto Ferraz (DEM) não tinha votado, mas que estava presente no plenário de forma virtual. Dito isso, a servidora reviu a gravação da dessão e constatou que no momento da votação o deputado não se encontrava presente no plenário virtual. Apenas os deputados Cabo Maciel (PL), Álvaro Campêlo (Progressistas) e Therezinha Ruiz (PSDB) estavam online na plataforma.

Ameaça

A servidora ainda relata que após isso, Alessandra Campêlo ligou novamente para ela ameaçando processá-la pois alegou que a servidora estava sendo manipulada.

Em defesa, a declarante informou que estava apenas desempenhando sua função obedecendo as exigências do regime interno da Casa e que se encontrou “profundamente abalada emocionalmente com a situação, pois nunca tinha passado por tal constrangimento”, declarou no documento.

Veja na íntegra o documento:

blank

Resposta

Entretanto, a deputada Alessanda Campêlo informou na sessão híbrida realizada na última sexta-feira (10) que a gerente de atas confirmou por telefone que a votação da composição da Comissão Especial havia atingido o quórum mínimo.
“Na ata consta que o deputado não votou embora estivesse presente no plenário virtual. Liguei agora pouco em viva-voz para ela (servidora), ela falou na frente do presidente desta comissão (deputado Berlamino Lins), que havia quórum 13 presentes, mas só votaram 12. Ela ainda relatou que há uma observação que o deputado Ferraz não votou, embora estivesse presente no plenário virtual”, informou a deputada.

Confira vídeo: