Dupla responsável por rinhas de galos nas zonas norte e leste é presa em Manaus

Foram encontrados cinco pássaros silvestres em cativeiro e 23 galos de briga feridos em cubículos nos fundos da propriedade.

Redação AM POST

Policiais militares do Batalhão Ambiental do Comando de Policiamento Ambiental (BPAmb/CPAmb), em operações distintas realizadas na manhã e na tarde de domingo (12/07), detiveram dois homens, de 56 e 40 anos, que mantinham dezenas de galos de briga, muitos visivelmente feridos. As ações ocorreram no ramal do Leão, na rodovia rodovia AM-010 (Manaus-Itacoatiara), zona norte de Manaus, e no bairro Gilberto Mestrinho, zona leste.

A primeira ação ocorreu por volta das 9h do domingo, durante patrulhamento de rotina da equipe do BPAmb na área do ramal do Leão, na AM-010. Quando passavam por um sítio, os policiais notaram pássaros em gaiolas na frente do local. Desconfiados, entraram em contato com o dono do local, que afirmou ser proprietário das aves e permitiu que os policiais fiscalizassem o sítio.

Durante a vistoria, foram encontrados cinco pássaros silvestres em cativeiro e 23 galos de briga feridos em cubículos nos fundos da propriedade. Os galos estavam em estado precário.

O responsável foi detido e entregue no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), e as aves foram resgatadas e levadas para análise veterinária. Três dos galos estavam com os olhos perfurados.

Mais tarde, por volta das 13h, no bairro Gilberto Mestrinho, a equipe do Batalhão deteve um homem de 40 anos que mantinha 14 galos de briga em sua posse. Os animais estavam visivelmente machucados e sangrando. A ação ocorreu após denúncia anônima informando sobre as atividades ilegais do indivíduo, que teria o costume de realizar rinhas naquela área da zona leste.

Após conferirem e resgatarem os galos, muito desgastados e feridos, o responsável pelos animais recebeu voz de prisão e foi encaminhado, juntamente com 24 pares de esporas de plástico encontradas no local, até o 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP). As aves foram levadas para procedimentos veterinários.

O Comando de Policiamento Ambiental alerta a população que manter animais silvestres em cativeiro sem documentação legal e promover rinhas de galos incide em crime ambiental passível de punição pelas leis vigentes no país.

* Com informações da Assessoria de Imprensa