Eduardo Braga contrapõe Paulo Guedes na privatização da Eletrobrás

A estatal demanda R$ 14 bilhões em investimentos anuais para que se mantenha a competitividade, tendo o retorno para o governo apenas R$ 3,5 bilhões.

Redação AM POST

A privatização da Eletrobrás, responsável por 37% do total da capacidade de geração de energia elétrica do país, está sofrendo um entrave pela bancada no Norte do Senado.

Os parlamentares da região são contrários sobre a operação da Eletrorte, braço estatal no Norte que é ligado historicamente ao partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

O senador Eduardo Braga (MDB-AM), pediu para o ministro da Economia, Paulo Guedes, que fosse criado um fundo para garantir a manutenção de tarifas baixas para a população da região Norte.

“Ninguém está pedindo que o Tesouro contribua. Com o aumento do consumo de energia, podemos criar um encarrgo mínimo, de centavos, que, em função do tamanho, poderia gerar um fundo de 1 bilhão de reais. O setor é muito grande. Com um encargo pequeno, se tem um fundo gigantesco”, afirmou Braga.

Paulo Guedes busca acelarar o processo de privatização para esse ano, por conta dos prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Para o ministro Guedes, a Eletrobrás, ao lado dos Correios, é a “joia da coroa” das empresas que precisam ser privatizadas. A estatal demanda R$ 14 bilhões em investimentos anuais para que se mantenha a competitividade, tendo o retorno para o governo apenas R$ 3,5 bilhões.

*Com informações da Veja.