Empresário Ely Paixão é condenado a mais de dois anos de prisão em regime aberto

Em 2016, o empresário da Rede Amazônica se envolveu em um acidente que deixou um morto e uma vítima lesionada.

Redação AM POST

O Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM), por meio da Vara Especializada em Crimes de Trânsito de Manaus, condenou na manhã desta quarta-feira (29) o empresário Ely Paixão a dois anos e quatro meses de detenção em regime aberto por ter cometido acidente que resultou na morte de Rodrigo Salazar da Silva.

Conforme juiz do TJAM, Flávio Henrique Albuquerque, a pena de restrição de liberdade foi comutada em duas penas restritivas de direito, ou seja, a prisão foi transformada em:

  • prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, gratuitamente, durante o tempo de sua pena, a serem definidas pelo Juízo da Vara de Execuções de Medidas e Penas Alternativas (VEMEPA);
  • prestação pecuniária (pagamento em dinheiro) no valor de cinco salários mínimos vigente, sendo um para a vítima lesionada e quatro a ser convertido em favor dos dependentes da vítima fatal.

Além da prisão, ele também teve a habilitação para dirigir suspensa por um ano e três meses.

Entenda o caso

No dia 30 de janeiro de 2016, Ely Paixão, que atua como presidente do Conselho Curador da Fundação Rede Amazônica, estava dirigindo um veículo picape Nissan Frontier, cor prata, placa OAJ-4295, pela Avenida Cel. Teixeira, no bairro Ponta Negra. Foi quando colidiu com a motocicleta Yamaha YBR 125 Factor, cor preta, placa OAC-8227, conduzida por Rodrigo Salazar da Silva, tendo na garupa Kleberson Teixeira Barreiros.

Após a colisão, os ocupantes da motocicleta foram lançados ao chão. Paixão permaneceu no local, porém não prestou socorro às vítimas, conforme declaração de Kleberson.

Rodrigo, que conduzia a moto, morreu em 14 de fevereiro de 2016, no HPS João Lúcio, em virtude de complicações decorrentes das graves lesões corporais sofridas no acidente. Kleberson sofreu as lesões corporais descritas no laudo de exame de corpo de delito.

Rede Amazônica

O veículo dirigido pelo empresário na ocasião do acidente, uma picape Nissan Frontier, é de propriedade da Rede Amazônica de Televisão. Paixão é casado com Claudia Daou, filha do jornalista Phelippe Daou (fundador da Rede Amazônica) e presidente do Conselho Curador da Fundação Rede Amazônica.