Estudo aponta três linhagens diferentes do coronavírus no Amazonas

As linhagens encontradas também foram identificadas na Austrália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

Redação AM POST

Um estudo elaborado pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) identificou três linhagens do novo coronavírus (Covid-19) circulando no Amazonas. A pesquisa mostra ainda que as mutações do vírus nessas linhagens foram as causadoras da rápida proliferação da Covid-19 no Amazonas.

O estudo foi coordenado pelo pesquisador e vice-diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca. Conforme pesquisa, as três linhagens do SARS-CoV-2: A2; B1.1; B1, sugere pelo menos três introduções do vírus no Estado.

O coronavírus já atiginu 100% dos municípios do Amazonas. As três linhagens foram identificadas na capital amazonense. Nos municípios Manacapuru, Manaquiri e Manicoré, o estudo identificou a circulação de duas linhagens, e nos demais municípios a pesquisa encontrou apenas uma linhagem.

Estas linhagens encontradas no Amazonas também foram identificadas em amostras de países como Austrália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

37 genomas sequenciados

O coordenador ainda afirmou que o estudo de Epidemiologia Molecular do SARS-CoV-2 no Amazonas sequenciou 37 genomas do novo coronavírus. Felipe ressaltou a imporância de poucas pesquisas a respeito das síndromes respiratórias no Amazonas.

No mês de março deste ano, o pesquisador concluiu o primeiro genoma SARS-CoV-2 do Norte do país. Agora, foram mais 36 sequenciamentos.

O estudo é apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio da Rede Genômica em Saúde do Estado do Amazonas (Regesam).