Operação Sangria: ex-assessora de Alessandra Campêlo apontou Alencar como responsável pela compra dos respiradores

Segundo depoimento da ex-gerente de compras da Susam, Alencar atuou como mediador do governador.

Redação AM POST

Após ser presa na Operação Sangria no dia 30 de junho, a ex-gerente de compras da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), Alcineide Figueiredo Pinheiro, declarou que a compra superfaturada dos 28 respiradores pulmonares foi articulada pelo governador Wilson Lima (PSC).

Antes de assumir o cargo na Susam, Alcineide trabalhou como assessora parlamentar da deputada Alessandra Campêlo (MDB). A deputada foi nomeada como presidente da Comissão Especial de Impeachment que investiga crime de responsabilidade na gestão do governador Wilson Lima  e seu vice Carlos Almeida Filho (PRTB).

Ainda conforme depoimento, Alcineide foi chamada no dia 21 de março para a sala do secretário de saúde, na época Rodrigo Tobias, e lá estavam também o secretário executivo João Paulo Marques e ‘Alencar’, que foi enviado pelo governador para atuar como mediador entre a secretaria e os fornecedores durante a pandemia de Covid-19.

Guttemberg Alencar é empresário e militar da reserva da Polícia Militar, conhecido por circular entre políticos e empresários do estado há vários anos. Ele foi apontado em depoimento por comprar os respiradores para que o governo do Amazonas o pagasse depois, já que a Susam não tinha meios para comprar à vista. E que ainda, segundo Alcineide, não foi esclarecida a forma de pagamento por parte do Estado.

Negociação

Conforme depoimento, foi citado uma pré-negociação com a empresa Jalusa com sede em Miami nos Estados Unidos e que inclusive, já teria sido pré-aprovada pela SeaCapital e o valor de cada respirador seria de $ 19 mil (cerca de R$ 95 mil).

“Alencar afirmou que conhecia o responsável pela empresa, Rubens, que seria namorada da irmã dele e afirmou que depois telefonaria para Rubens mais que na época, a proposta mais recente era da Sonoar”, relatou a ex-gerente de compras.

De acordo com ex-gerente de compras, Alencar fez o contato entre a Susam e as duas empresas suspeitas de participarem do esquema de fraude e superfaturamento na compra.

CPI da Saúde

Investigações realizadas pelos membros da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) identificaram que um dos sócios da empresa Sonoar, responsável por fornecer os respiradores para a FJAP Ltda., a ‘loja de vinhos’ que revendeu os aparelhos ao Governo do Amazonas, é o médico Luiz Carlos Avelino Júnior, marido da secretária de comunicação e amiga do governador Wilson Lima, Daniela Assayag.

Superfaturamento

De acordo com a ‘Operação Sangria’ da Polícia Federal, a Sonoar comprou os respiradores por quase R$ 1,1 milhão e revendeu à FJAP Cia Ltda por R$ 2,48 milhões. A FJAP vendeu os aparelhos, sem licitação, ao governo do Amazonas por R$ 2,96 milhões. Toda essa operação de compra e venda foi realizada em um intervalo de duas horas e meia no dia 8 de abril. A Sonoar lucrou R$ 1,41 milhão e a FJAP lucrou R$ 496 mil.

*Com informações D24AM