Plínio Valério diz que está do lado certo da sociedade ao votar contra Projeto de Lei das Fake News

Segundo ele foram ignorados alertas de que essa matéria não poderia ser votada com o fígado.

Redação AM POST

O senador Plínio Valério (PSDB), falou nesta quarta-feira (1º) em suas redes sociais sobre a aprovação ocorrida ontem (30) no Senado do projeto que cria a Lei das Fake News, alvo de muitas críticas por limitar a liberdade de expressão. O PL 2.630/2020 recebeu 44 votos favoráveis contra 32.

A bancada do Amazonas ficou dividia na votação em que os senadores Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB) apoiaram o projeto enquanto Plínio Valério (MDB) foi contrário e disse que está com a consciência tranquila em votar não.

De acordo com o senador tucano do Amazonas “foram ignorados alertas de que essa matéria não poderia ser votada com o fígado, nem os alertas da ONU sobre riscos para liberdade de expressão, além da leitura muito negativa para investimentos no Brasil” Ele também destaca que tudo pode piorar.

O parlamentar disse que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, rejeitou requerimento dele e de outros senadores para adiar a votação do PL das Fake News.

Leia texto escrito pelo senador:
Com 44 votos sim e 32 votos não, foi aprovado ontem o PL 2630. Foram ignorados nossos alertas de que essa matéria não poderia ser votada com o fígado, nem os alertas da ONU sobre riscos para liberdade de expressão, além da leitura muito negativa para investimentos no Brasil. Tudo pode piorar.

Embora com o gosto amargo da derrota e pelo temor das consequências nefastas do PL 2630 que pode levar a censura e impacto negativo na economia do Brasil, tenho a consciência tranquila que estou do lado certo da sociedade ao votar NÃO.

Davi Alcolumbre rejeitou o meu requerimento e de outros senadores para adiar a votação do PL das Fake News. Disse que o plenário lhe assegurou, a seu juízo, o direito de decidir o que é relevante e não pode esperar o retorno à normalidade das votações. ELE DECIDIU.