Processo de impeachment do prefeito petista de Itacoatiara segue para julgamento em plenário

Agora o processo segue para a fase em que será dada continuidade da investigação da denúncia, com oitiva das testemunhas, do prefeito e demais atos de cunho investigativos.

Redação AM POST

A Comissão Processante que analisa a denúncia de cassação do mandato do prefeito de Itacoatiara, Antônio Peixoto (PT), reuniu-se na terça-feira (28) para deliberar sobre o prosseguimento ou arquivamento do processo de impeachment. Após ser apresentado pelo relator da Comissão Processante, vereador Alcimar Filho (PP), os vereadores que compõem a comissão, por unanimidade, votaram pelo prosseguimento do procedimento político-administrativo de cassação do mandato do chefe do Executivo municipal.

A Comissão é composta pelos vereadores Arialdo Guimarães (PL), Alcimar Filho (PP) e Francisco Rosquildes (PT), este último faltou à reunião e foi substituído pelo 1º suplente, vereador Dário Nunes, que acompanhou o voto do relator.

Leia mais:Em busca de reeleição, prefeito de Itacoatiara firma contrato com rádio por quase R$ 150 mil

Após a discussão e votação, por três votos a zero, o presidente declarou o prosseguimento do processo de cassação, com início imediato da instrução processual, fase em que será dada continuidade da investigação da denúncia, com oitiva das testemunhas, do prefeito e demais atos de cunho investigativos.

Ao final da instrução processual, após o denunciado Antônio Peixoto apresentar a defesa, o processo será encaminhado para julgamento no plenário da Câmara Municipal de Itacoatiara e, caso o prefeito seja declarado culpado pelo voto de dois terços dos membros da Câmara, que totalizam dez votos, terá o mandato cassado, e assumirá o vice-prefeito Gustavo Braz (Cidadania).

Recentemente afastado do cargo por força de decisão judicial e sofrendo forte rejeição da população, o prefeito não teve nenhum voto a seu favor. Porém, fonte ouvida pela reportagem, disse que “isso é politicagem por causa da eleição desse ano. Todo mundo sabe que ele controla a Câmara, os vereadores estão nas mãos dele. Na hora do vamos ver vai acabar em pizza”. A decisão final será no plenário.

*Com informações da agência Comunicação Norte