Dispensa de licitação de reforma do Hospital João Lúcio é discutida na ALE

A denúncia foi realizada pelo deputado Dermilson Chagas durante sessão híbrida nesta manhã (8)

Redação AM POST

O deputado Dermilson Chagas (Podemos) realizou uma denúncia de superfaturamento de R$ 1.915,332,80 na compra de 240 condicionadores de ar para a reforma do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio. O valor foi orçado pela empresa RR Construções e Transportes LTDA, de acordo uma dispensa de licitação elaborada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra).

Segundo o parlamentar, os valores propostos na dispensa de licitação n°00426/2020 do contrato n° 019/2020, não condizem com o valor real dos produtos. Ele considera superfaturamento – de R$ 15,4 milhões que a Seinfra fez com a empresa.

“Os modelos de ar condicionado de 12, 24 e 36 mil BTUs, na realidade correspondem ao valor de R$ 872.960 mil. Conseguimos perceber que o superfaturamento é uma rotina nesse governo. Com esse valor seria possível ampliar o hospital. No orçamento não constatamos a ampliação de nenhum leito. É uma reforma que duvido que realmente vão colocar ar-condicionado” comentou Dermilson.

O deputado Sinésio Campos (PT) concordou que o valor deva ser repensado. Porém, defende que deve ser mantida a reforma da unidade hospitalar.

“Há mais de 10 anos que o Hospital João Lúcio não passa por uma reforma. Os tetos todos sucateados, chove mais dentro do que fora. Todos sabem que sempre priorizei a saúde. A Zona Leste de Manaus precisa de um hospital que atenda as necessidades”, comentou.

Segundo Dermilson, a denúncia será oficializada no Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) para que sejam tomadas medidas quanto a isso.