Suspeita de fraudar documentos e cartões de crédito é procurada pela polícia em Manaus

A vítima descobriu a fraude depois que recebeu ligações e e-mails notificando compras que ela desconhecia.

Redação AM POST

Uma mulher não identificada, suspeita de fraudar cartões de crédito e documentos, utilizando os dados de uma mulher de 27 anos está sendo procurada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), representada pela delegada Juliana Tuma, titular do 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP). A ocorrência foi registrada em fevereiro deste ano.

De acordo com a delegada, as investigações em torno do caso tiveram início quando a vítima procurou a unidade policial, para comunicar que alguém estaria utilizando o nome e o Certificado de Pessoa Física (CPF) dela, para alugar carros, efetuar compras e emitir cartões de créditos em diferentes estabelecimentos comerciais da capital.

“A vítima descobriu a fraude depois que recebeu ligações e e-mails notificando compras que ela desconhecia. A partir de então, a mulher passou a consultar o próprio nome no Serasa, ocasião em que constatou que o CPF dela havia sido analisado por vários estabelecimentos para a emissão de cartões de crédito, sem que ela tivesse solicitado”, explicou a delegada Juliana.

Conforme a titular do 22º DIP, dias depois, uma locadora de veículos entrou em contato com a vítima, solicitando que a mesma devolvesse um carro que havia alugado. No entanto, a mulher de 27 anos não tinha locado nenhum tipo de veículo.

Segundo Tuma, as diligências acerca da ocorrência apontam que uma mulher, ainda não identificada, estaria utilizando os dados da vítima, incluindo uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsificada em nome da mesma. Em uma das compras realizadas com os documentos fraudados, câmeras de segurança de uma loja capturaram imagens da mulher suspeita de cometer os delitos.

Pede-se a quem puder colaborar com informações sobre a identidade da suspeita que entre em contato por meio do número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). “Asseguramos o sigilo da identidade dos informantes”, garantiu Tuma.