Juiz condena Sikêra Jr por ofender trans que interpretou Jesus na parada LGBT: “Raça desgraçada”

O comunicador terá que pagar R$ 30 mil de indenização a transexual Viviany Beleboni.

Redação AM POST

O apresentador, Sikêra Jr., foi condenado a pagar R$ 30 mil de indenização a modelo transexual Viviany Beleboni, que ficou famosa em 2015 por representar Jesus Cristo crucificado em uma encenação durante a Parada do Orgulho LGBT (Lésbica, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). As informações foram divulgadas pelo colunista Rogério Gentile, da Folha de S. Paulo.

O processo contra o apresentador aconteceu após ele, em março deste ano, ter chamado a transsexual de “raça desgraçada” no programa “Alerta Nacional” e associou a imagem de Viviane a um crime cometido por um casal de mulheres lésbicas.

“Isso é um lixo, uma bosta, uma raça desgraçada”, afirmou Sikêra na atração ao mostrar a imagem de Viviane na Parada Gay de 2015.

O juiz Sidney da Silva Braga disse na decisão que Sikêra usou da transexualidade e da imagem da modelo para associá-la à prática de crime. Além disso, determinou que o programa retire a imagem de Viviane da reportagem que foi postada no Youtube.

“O fato de a autora ser artista reconhecida não autoriza que possa ter sua imagem exposta sem autorização e ser chamada de ‘raça desgraçada’ em contexto de crítica à prática de um crime que com ela não tem qualquer relação”, diz a sentença.