Pedreiro é preso suspeito de estuprar a própria filha, uma sobrinha e duas enteadas em Manaus

Em todos os casos, o indivíduo ameaçava as vítimas, para que elas não denunciassem os abusos.

A equipe de investigação do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP) cumpriu, na tarde de segunda-feira (03/08), por volta das 13h, mandado de prisão temporária em nome de um pedreiro de 37 anos, investigado por abusar sexualmente da própria filha, de duas enteadas e de uma sobrinha, que moravam na mesma residência que ele. Os atos criminosos começaram a ser praticados em 2008.

De acordo com o delegado Torquato Mozer, titular da unidade policial, apesar dos estupros ocorrerem há mais de 10 anos, a denúncia só foi formalizada na semana passada, no dia 24 de julho, quando o indivíduo estuprou uma das enteadas dele, uma adolescente de 15 anos, que resolveu comunicar aos familiares sobre o ocorrido.

“A partir desse primeiro caso, nós iniciamos um cuidadoso trabalho investigativo, e conseguimos identificar que ele havia praticado abusos sexuais contra mais três meninas da própria família, inclusive a própria filha de 11 anos, além de outra enteada de 19 anos, que começou ser vítima de estupro aos 7 anos. A sobrinha dele, de 13 anos, também foi abusada pelo infrator”, explicou Mozer.

Conforme a autoridade policial, os estupros eram cometidos quando o pedreiro ficava sozinho com uma das vítimas. Entretanto, não é possível afirmar com exatidão a idade delas, a época em que os atos criminosos se iniciaram, pois eles perduraram por anos e reiteradas vezes. Em todos os casos, o indivíduo ameaçava as vítimas, para que elas não denunciassem os abusos.

Prisão
O delegado explicou que a prisão ocorreu após a equipe policial descobrir que o indivíduo estava se mudando da casa em que morava. Assim que souberam de tal fato, os investigadores se dirigiram até o imóvel, situado bairro Amazonino Mendes, zona norte da capital.

Segundo o titular do 30º DIP, o mandado de prisão temporária foi expedido na última quarta-feira (29/07), pela juíza Careen Aguiar Fernandes, do Plantão Criminal.

Procedimentos – O indivíduo foi indiciado por estupro. Após realização dos procedimentos cabíveis, o investigado será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), e ficará à disposição da Justiça.