Governo Bolsonaro pretende intervir no aumento do preço de materiais de construção

O setor é um dos que registrou maior crescimento (22,7%) em relação a agosto do ano passado.

Redação AM POST

Caso os preços dos materiais de construção não voltem a patamares considerados razoáveis até o final deste ano o governo federal pretende tomar medidas para parar os aumentos assim como fez com o arroz que teve imposto de importação zerado.

O setor de materiais de construção é um dos que registrou maior crescimento (22,7%) em relação a agosto do ano passado, segundo pesquisa de comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Em agosto, o tijolo subiu 9,32% depois de uma alta de 4,13%, em julho. Com o cimento, os preços se elevaram 5,42% no mês passado ante 4,04%, em julho. No caso do concreto, 81% perceberam alta de preço durante a pandemia. E em bloco cerâmico, 75%.

O pedido de intervenção nos aumentos de preços foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos seus auxiliares mais próximos para terem atenção à escalada de valores que afetam o bolso do consumidor. Ele quer medidas para reduzir a pressão inflacionária.

*Com informações da FolhaPress