Hospitais do Estado são denunciados por estarem operando sem tomógrafo

A falta de exames de imagem põe em risco a vida de pacientes nos hospitais, além de deixar o médico sem a devida assistência na sua função.

Redação AM POST

Pacientes e médicos de unidades de saúde como os Hospitais e Pronto-Socorros João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo alegam a falta de exames de imagem (tomografia) e a demora de remoção para outros hospitais. A denúncia foi levada pelo deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) nesta quinta-feira (10).

Para o parlamentar, a ausência de tomógrafos, considerados fundamentais para diagnóstico por imagens de doenças e identificação de fraturas, tumores e outros males, é grave e põe em risco a vida de pacientes nos hospitais, além de deixar o médico sem a devida assistência na sua função.

“É inadmissível que um Estado que arrecada R$ 20 bilhões por ano faça um cidadão enfermo ficar horas em um leito no corredor esperando por um simples exame de tomografia. Sem tomografia, o médico fica num voo cego, e o que é mais grave, tem pacientes esperando 48 horas para serem levados para dentro de um hospital de referência de Covid para fazer o exame. Isso é revoltante”, ponderou o deputado.

Barreto afirmou, ainda, que irá ingressar com um requerimento, no seio da Comissão de Saúde, pedindo a convocação do secretário estadual de Saúde (SES-AM), Marcellus Campêlo, para cobrar providências a respeito da falta de tomógrafos na rede pública de Saúde.

“Vou apresentar, em caráter de urgência, que o secretário de saúde venha a esta Casa explicar e dar satisfações para o povo do Amazonas, que não consegue diagnosticar nada mais sério porque não tem tomógrafo no 28 de Agosto. Infelizmente, estão matando o nosso povo e esse governo não aprendeu que com a saúde não se brinca”, finalizou Wilker.