Polícia e MP cumpre mandados de busca e apreensão em endereços de Crivella

Ele é suspeito de possível esquema de corrupção em contratos da prefeitura com empresas privqadas.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro e o Ministério Público Estadual (MPRJ) cumprem 22 mandados de busca e apreensão, na manhã desta quinta-feira (10), em endereços ligados ao prefeito Marcelo Crivella. A força-tarefa apura, em investigação sigilosa, um possível esquema de corrupção em contratos da prefeitura com empresas privadas.

Um dos itens apreendidos foi o celular de Crivella.

Entre os alvos do mandado estão a casa do prefeito, na Barra da Tijuca, no Palácio da Cidade, em Botafogo, onde Crivella costuma despachar, e a sede administrativa da prefeitura, na Cidade Nova, Região Central do Rio.

Outras equipes estiveram em endereços em Jacarepaguá, no Flamengo, na Tijuca, em Itaipava, na Região Serrana, e em Nilópolis, na Baixada Fluminense.

Autoridades também investigam o ex-senador Eduardo Lopes e o ex-tesoureiro de campanha de Marcelo Crivella. O empresário Rafael Alves é outro alvo.

A operação envolve diferentes departamentos da polícia, entre elas a Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro da Polícia Civil, que foi à casa de Crivella, e o Departamento Geral de Combate à Corrupção e ao Crime, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro, que esteve na sede administrativa da prefeitura.

Esta ação é um desdobramento da Operação Hades, deflagrada em março, que investiga uma organização criminosa que criou espécie de “balcão de negócios” para contratos da Prefeitura do Rio.

Fonte: Pleno>News