O portal de notícias da Amazônia



blank

Amazonas

Assista: Delegado afirma que juiz de Carauari é um dos maiores elementos de corrupção da cidade e recebe voz de prisão

Vídeo gravado pelo delegado mostra como aconteceu a situação; assista.

  • Por AM POST

  • 07/02/2024 às 19:24

  • Atualizado em 07/02/2024 às 20:47

  • Leitura em quatro minutos

Notícias do Amazonas – Um vídeo que está circulando em vários grupos de aplicativo mostra o embate entre o novo delegado de Carauari Regis Cornelius Celeghini Silveira e o juiz Jânio Tutomu Takeda durante inspeção em delegacia da cidade. Após ser confrontado o magistrado mandar prender a autoridade policial.

No vídeo o Delegado Regis registra a situação precária das celas e vai até o encontro do juiz de direito Jânio Tutomu Takeda, que está no município há mais de 30 anos, respondendo pela Vara única da cidade. Nas imagens, o delegado questiona se esta era a primeira inspeção do ano de 2024 e o juiz confirma que sim, indicando que não houve inspeção em janeiro deste ano.

PUBLICIDADE

Na minha visão isso tudo tá irregular” afirma o delegado para Jânio que pede para que o oficial passe isto por escrito.

Eu gostaria de ti informar que eu acabo de (te) denunciar no Ministério Público por ser um dos maiores elementos de corrupção desta cidade”, afirmou o delegado para o juiz.

Pego de surpresa o magistrado ainda pergunta: “Quem? O senhor está me acusando?”. Então o delegado responde: “Eu estou te informando que eu te denunciei”. Diante da afirmação, apontando o dedo indicador, Jânio Takeda dá voz de prisão para o delegado: “Tu está preso então agora. Pode recolher ele”.

PUBLICIDADE

No restante da gravação o juiz parece se atrapalhar sobre como deveria conduzir prisão enquanto o delegado aguardava a execução da ordem do juiz.

Sobre a denúncia contra o juiz

A reportagem do Portal AM POST teve acesso a denúncia que o delegado Regis Cornelius moveu contra o juiz Jânio Takeda. No documento, ele afirma que um dos presos da delegacia trabalha para o magistrado e durante inspeção na cadeia foi encontrado um celular com o detento que alegou ser ordem do juiz que ele permanecesse na posse do aparelho para atender aos seus chamados.

Durante as sondagens Antônio Mauricio Nascimento, condenado no processo 0000108-22.2020.8.04.3500, foi encontrado portando um aparelho celular, conforme filmagem. Antônio relatou que o juiz Comarca de Carauari, Jânio Tutomu Takeda, ordenou que ele permanecesse na posse do celular para atender aos chamados dele. Em uma primeira análise, o preso atribuiu ao juiz da cidade, Drº Jânio Tutomu Takeda, a prática dos crimes de corrupção passiva ou concussão, facilitação de fuga e entrada de celular na cadeia“, relata o delegado no documento.

De acordo com o delegado a situação foi registrada em vídeo em que ele pergunta ao preso se ele tem autorização para usar celular (na cadeia) e o preso responde “não (tenho autorização escrita para usar o telefone), mas o Drº ( Jânio Tutomu Takeda, juiz da cidade) sabe porque eu presto serviço para ele (na casa dele)”. Em seguida o detento diz: “eu passo o dia pra lá, na casa dele (do juiz ), porque ele manda chamar” e em seguida confirma que o celular é utilizado para que o juiz o convoque para prestar serviços na casa dele.

O delegado pontua que Jânio Tutomu Takeda, que está no município há mais de 30 anos, respondendo pela Vara única da cidade e tem postura ditatorial sendo apelidado “Coronel, Xandão e Xogum”.

A postura forte e ditatorial do magistrado rendeu a ele os apelidos de Coronel, Xandão e Xogum. O quadro faz lembrar as palavras de Rui Barbosa que dizia: ‘a pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer’“, escreveu.

Leia o documento completo:Relatório Takeda ao MP

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank