Amazonas

Empresários preparam carreata em prol do retorno da atividade econômica e fim da quarentena em Manaus

O ato é um protesto contra a medida de fechar o comércio e manter em funcionamento apenas os serviços classificados como essenciais.


Redação AM POST

Os empresários de Manaus, em especial os que operam no segmento do varejo e de serviços, promovem na tarde desta sexta-feira (27), uma carreata pela volta ao trabalho. A mobilização inicia a partir das 16h, no posto 700, localizado na Avenida Djalma Batista esquina com a Rua Pará, bairro Nossa Senhora das Graças.

Continua depois da Publicidade

O ato é um protesto contra a medida adotada pelo governo do Estado do Amazonas de fechar o comércio e manter em funcionamento apenas os serviços classificados como essenciais: supermercados, farmácias e padarias com o intuito de impedir a disseminação do novo coronavírus, Covid-19.

“A queda nas vendas diárias, apenas da última segunda-feira até hoje, chegou a 80%. O empresário não vende, logo não arrecada impostos e nem tem como arcar com as despesas com o funcionário e nem com a manutenção do negócio como água, luz telefone… Temos consciência de que vivemos um momento delicado de proteção pessoal, mas não se pode esquecer que o coronavírus afeta alguns e a fome afeta a todos”, enfatizou o empresário Fred melo, um dos organizadores do ato.

A carreata sairá da Avenida Djalma Batista, percorrerá as principais vias de Manaus com destino a Ponta Negra. Centenas de empresários e trabalhadores confirmaram presença no protesto que foi organizado e difundido via redes sociais com o lema “O Brasil não pode Parar, sem produção não há solução”.

Continua depois da Publicidade

“Esperamos que o governador se sensibilize com o setor produtivo. O isolamento vertical, aquele que mantém protegido os grupos de risco e permite que as pessoas em boas condições de saúde retomem suas atividades laborais fará o ciclo da economia girar, proporcionando recursos para os governantes combater o contágio, tratar os doentes sem deixar morrer o restante da população”, pontuou o organizador.

* Com informações da Assessoria de Imprensa

Continua depois da Publicidade