Imprensa nacional repercute operação que investiga corrupção no governo Wilson Lima

O caso repercutiu na imprensa nacional e agitou os bastidores políticos na capital amazonense.

Redação AM POST

A segunda fase da operação Sangria prendeu na manhã desta quinta-feira (8) cinco pessoas, ligadas ao governo Wilson Lima (PSC), investigadas na compra de respiradores para o tratamento de Covid-19, durante a pandemia e cumpriu mandados de busca e apreensão entre eles no gabinete do vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida, apontado com alguém de grande influência no suposto esquema fraudulento.

O caso repercutiu na imprensa nacional e agitou os bastidores políticos na capital amazonense. A operação da Polícia Federal, com apoio da Controladoria-Geral da União foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Continua depois da Publicidade

O site ‘O Antagonista’, que mostra bastidores da política, destaca que dentre os presos desta manhã está
Gutemberg Leão Alencar, apontado como ‘homem de confiança’ do governador.

O jornal Hoje, da Rede Globo, divulgou reportagem sobre o envolvimento do vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida, apontado com alguém de grande influência no suposto esquema fraudulento de compra de respiradores.

A matéria do telejornal também destaca que apesar do governador não ser alvo desta fase da operação ele é aponta pelas investigações como o principal articulador do esquema. Na primeira fase a PF cumpriu busca e apreensão na casa e gabinete de Wilson Lima.

Continua depois da Publicidade

O R7 também apontou que investigações da primeira fase da Sangria mostra que o governador Wilson Lima exercia domínio completo não apenas dos atos relativos à aquisição de respiradores para enfrentamento da pandemia, mas também das demais ações governamentais relacionadas à questão, no bojo das quais atos ilícitos teriam sido praticados.