Juíza determina que ex-cirurgião Carlos Cury Mansilla vá para regime fechado

Ele foi condenado a 8 anos de prisão pelos crimes de estelionato e também homicídio culposo praticado contra uma paciente.

Redação AM POST

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) reverteu o regime de prisão do ex-cirurgião Carlos Cury Mansilla do semiaberto para o fechado. A decisão foi assinada pela juíza Eulinete Melo Silva Tribuzy, da 11ª Vara Criminal.

A magistrada acatou na decisão o recurso do Mistério Público do Amazonas (MPAM) devido a contradição quanto à aplicação do regime inicial de cumprimento de pena do ex-cirurgião. Ela negou acolhimento ao segundo recurso, por não constatar omissão ou contradição que mereça ser sanada.

Continua depois da Publicidade

O ex-cirurgião foi condenado em 2019 a oito anos de prisão pelos crimes de estelionato e também homicídio culposo praticado contra Maria Altenizia de Lima Salles. A investigação da Polícia Civil do Amazonas apontou que Carlos Jorge Cury Mansilla, à época dos fatos, em 2012, mantinha uma clínica de cirurgia e estética, obesidade e emagrecimento, localizada na Avenida Eduardo Ribeiro, Edifício Cidade de Manaus, onde realizava atendimento a clientes.

De acordo com o inquérito policial que gerou a denúncia do MP-AM, Carlos Jorge Cury Mansilla, fazendo-se passar por especialista em cirurgia plástica, em um procedimento clínico, ocasionou a morte da vítima, em razão da não observância de regra técnica de profissão. O médico havia recebido R$ 25 mil da referida vítima para a realização dos procedimentos de cirurgia plástica.