Pesquisar por em AM POST

Amazonas

Parceria entre TJAM e outros órgãos proporciona vagas em cursos do Pronatec para cumpridores de pena

No total são 40 vagas para o curso de Operador de Empilhadeira e 20 para o curso de Mecânico de Motocicletas.

  • Por AM POST

  • 04/11/2016 às 10:42

  • Leitura em três minutos

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio do Projeto Começar de Novo, em parceria com o Senai/AM, iniciou nesta semana, um curso para mecânicos de motocicletas para cumpridores de penas restritivas de direitos vinculados à Vara de Execuções de Medidas e Penas Alternativas da Comarca de Manaus (Vemepa).

No processo de pactuação de vagas para cursos do Pronatec, o Centro de Formação Profissional Waldemiro Lustoza e a Escola Senai de Ações Comunitárias disponibilizaram 60 vagas em cursos profissionalizantes aos cumpridores de penas restritivas, sendo 40 vagas para o curso de Operador de Empilhadeira e 20 vagas para o curso de Mecânico de Motocicletas. Nesta segunda-feira, os 20 alunos que pretendem atuar como mecânicos de motos iniciaram as aulas.

PUBLICIDADE

O Senai oferecerá ainda, além da formação profissional, o material didático, fardamento, certificação e assistência estudantil destinada a suprir a necessidade de deslocamento do público até o local dos cursos.

A administração e acompanhamento da execução das vagas ficou a cargo do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), através do Projeto Começar de Novo, vinculado ao Grupo Permanente de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário, tendo como competência viabilizar todas as tratativas e execuções do Pronatec junto ao Senai/AM.

C.M.S., 42, agradeceu a oportunidade em poder fazer um curso na área que gosta, pois, muita gente não tem essa oportunidade. “Foi muito bom ter tido essa oportunidade. Muitas pessoas querem fazer um curso e também não têm como pagar. Essa oportunidade chegou em boa hora e vou me dedicar porque Manaus tem muitas motocicletas e oficinas não faltam para trabalhar”, disse.

PUBLICIDADE

O coordenador do curso, professor Fabrício Holanda, explicou que os cursos são profissionalizantes e o aluno, ao sair, já estará apto para entrar no mercado de trabalho. “O Senai abre as portas para a profissionalização e depende muito do empenho do aluno. Esperamos que os primeiros 20 alunos consigam chegar ao final do curso com empregos garantidos”, disse o coordenador.

Jaime Pires da Costa Júnior, assistente social do Projeto Começar de Novo, comentou que profissionais especializados do projeto acompanham o desempenho dos alunos e, inclusive monitoram a sua frequência, pois o objetivo do projeto é colocá-los no mercado de trabalho, mas, para isso, é necessário uma capacitação.

PUBLICIDADE

“Agora só depende deles. Nós, do projeto Começar de Novo, intermediamos e acompanhamos os desempenhos. Com certeza vão sair formados e com capacidade de ingressar no mercado de trabalho”, disse Jaime.

O Projeto Começar de Novo foi criado pela Resolução nº 96/2009 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sendo um projeto institucional com objetivo de integrar órgãos do poder público e da sociedade civil no processo de execução penal, que compreende não só a prevenção e a punição, mas também a reintegração social do apenado.

PUBLICIDADE

No Amazonas, o projeto Começar de Novo é vinculado ao Grupo Permanente de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário, que tem como presidente desembargador Sabino da Silva Marques. A coordenação é do juiz Henrique Veiga Lima.

Fonte: TJAM

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank