PMs que trabalharam na eleição denunciam ‘calote’ da SSP-AM

Segundo denúncia, essa foi a primeira missão realizada pelo TRE em que o dinheiro não é repassado pela SSP.

Redação AM POST*

A operação Eleições 2020 realizada pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) envolveu um equipe de 2,6 mil policiais em todo o Estado, no dia do voto, no entanto, um os servidores que participou da ação disse que nenhum deles recebeu o valor da diária que seria utilizada para custear a permanência no interior, ou seja, para arcar com custos de transporte, alimentação, hospedagens, entre outros. Conforme a denúncia, alguns não tinham dinheiro suficiente para comprar sua alimentação.

“Isso tem que ser planejado, falta de gestão, o cara é incompetente, não sabe gerir o recurso. Eu fui e voltei e o dinheiro não caiu. Acontece que nenhum dos mais de mil policiais que foram enviados receberam o valor das diárias que é de R$ 120. Nunca, em anos na corporação, passei por isso. Não existe”, explicou o denunciante que pediu para não ser identificado por medo de represália.

Continua depois da Publicidade

Ainda segundo a denúncia, essa foi a primeira missão realizada pelo TRE em que o dinheiro não é repassado pela SSP. “Essa foi a única vez que viajei e que não recebi o valor das diárias antecipadas ou durante a missão. Eu tinha uma reserva, mas nem todo policial tem essa reserva. Teve policial que não tinha um real para pagar uma água e teve que contar com a sorte. De forma humilhante tivemos que contar com a ajuda dos colegas de farda que lá se encontravam para não passar necessidade”, enfatizou o PM.

*Leia mais na Coluna Alex Braga