Seduc-AM afasta professor após denúncias de comentários polêmicos nas redes sociais

As denúncias foram feitas por alunos devido posts homofóbicos e que incitam o estupro.

Redação AM POST

Um professor de 43 anos, foi denunciado por alunos após escrever comentários homofóbicos e que incitam a prática do estupro nas redes sociais. A Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc-AM) recebeu print dos posts e decidiu afastar o docente desde a última sexta-feira (6).

Ele foi exposto nas redes sociais após comentário polêmico em publicação de um portal de notícias local sobre o caso Mariana Ferrer, que acusou o empresário André de Camargo Aranha de estuprá-la em 2018, mas teve sentença definida como “estupro culposo” — ou seja, quando não há intenção de cometer o crime.

Continua depois da Publicidade

“Se os juízes não forem gays, eles vão compreender o caso e manter o veredito”, escreveu. “No entendimento do juiz, julgou igual eu julgaria, facilitou merece umas pombas”, completou respondendo ao ser questionado por aluna.

Ele disse ainda que mulheres provocam a situação e cita como exemplo sexo dentro de realitys shows.

“Se você se ver enquanto mulher e se analisar que se você não facilitar nunca haverá um suposto estupro ou uma suposta transa. Já vi isso em Big Brother Brasil, a mina dá e depois vai chorar”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

Em outro comentário, o professor critica a eleição da primeira senadora transgênero dos Estados Unidos, Sarah McBride. “A primeira maldição já começou”, declarou.

Em nota, a Seduc informou que repudia toda e qualquer manifestação de cunho machista, misógino e homofóbico por parte de seus servidores e que defende uma política educacional pautada no respeito e inclusão. A pasta disse que o professor não pode mais entrar em sala de aula ou ministrar aulas, e que ele deve comparecer à Coordenadoria Distrital para esclarecimentos.

Veja os prints:

Continua depois da Publicidade