Amazonas

Wilson Lima cria Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais e reorganiza quadro de cargos em comissão da Polícia Civil

Grupo de ações táticas especiais será responsável por intervir em ocorrências policiais de alta complexidade.

Redação AM POST

O governador Wilson Lima sancionou, nesta quarta-feira (22/12), a lei que cria a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil do Amazonas, que vai incorporar o Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera). A medida faz parte do processo de reestruturação da instituição.

Continua depois da Publicidade

“Eu estou trabalhando junto com a minha equipe para que a gente possa dar as condições para que todos possam continuar trabalhando, possam ir para a rua. Possam ter o seu armamento, a sua munição. Já falei algumas vezes e vou repetir aqui: vou até o limite do que a lei me permitir para dar condições de trabalho, até o limite do meu orçamento”, disse o governador.

Além de criar a Core, Wilson Lima assinou o decreto que reorganiza o quadro de cargos em comissão e funções gratificadas da Polícia Civil; e o que regulamenta a gratificação de serviço extraordinário em caráter excepcional, daqueles que atuam nas ações do projeto Ame a Vida.

“O Fera existe há 22 anos e era um sonho antigo desses servidores, que são os mais capacitados em questão de cursos, a criação desta coordenadoria que, hoje, já existe em quase todos os estados brasileiros. Com a sensibilidade do nosso governador foi possível realocar cargos, reestruturar a carreira deles que, na verdade, proporciona mais estrutura para a carreira deles, para atuar com mais tranquilidade”, explicou a delegada-geral, Emília Ferraz.

Continua depois da Publicidade

A Core passará a ser o grupo de ações táticas especiais responsável por intervir em ocorrências policiais de alta complexidade, que exijam capacitação e elevado preparo tático e operacional dos policiais civis. O grupo atua frente ao narcotráfico, assaltos com reféns, cumprimentos de mandados de alto risco, assessorando e operando junto às unidades policiais no planejamento e execução de operações.

A nova nomenclatura atende a uma diretriz que visa a uniformização e modernização da doutrina dos grupos de ações táticas especiais no país, bem como a padronização institucional definida pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC).

Continua depois da Publicidade

Sendo assim, o Estado do Amazonas segue na vanguarda de ações da Segurança Pública nacional, fortalecendo e engrandecendo o Sistema de Segurança do Estado, bem como chancelando a Core para captação de recursos junto ao Governo Federal e outros fundos nacionais, referentes às unidades de elite. A coordenadoria também viabiliza maior intercâmbio entre as demais unidades de elite nacional e internacional, tanto para treinamentos, cursos, especializações e operações conjuntas entre os estados.

O delegado Juan Valério, coordenador da Core, destacou que a criação da coordenadoria trará mais reconhecimento e notoriedade para o Amazonas no cenário nacional na área da segurança pública. Segundo ele, a coordenadoria vai criar e especializar demais setores dentro de sua organização, tais como: Atendimento Pré-Hospitalar (APH), abordagens fluviais de alto risco, optrônicos, drones, comunicações, mergulho, canil, dentre outros.

Continua depois da Publicidade

“A Coordenadoria de Operações e Recursos Gerais vai gerir, operacionalizar e auxiliar com todos os recursos especiais da Polícia Civil. A Core nos traz uma chance nacional para buscar recursos, fazer intercâmbios, bem como operações conjuntas com outros estados o que fortalece ainda mais a Polícia Judiciária no que tange às operações táticas operacionais” disse o coordenador.

O delegado Juan Valério destacou, ainda, que na atual gestão do Governo do Amazonas todos os policiais contam com armamento moderno e munições. Antes, usavam fuzis que eram apreendidos em operações, que apresentavam problemas, e munições emprestadas.