Brasil

Brasil vai receber 50 mil doses da vacina contra a varíola do macacos

Plano de vacinação será elaborado por grupo coordenado pelo Ministério da Saúde.


Redação AM POST

O Brasil deve receber 50 mil doses de vacina contra a varíola dos macacos (monkeypox), segundo o Ministério da Saúde. A informação foi dada nesta sexta-feira, 29, pelo Ministério da Saúde, mesmo dia que a pasta confirmou a primeira morte pela doença no Brasil.

Continua depois da Publicidade

Trata-se de um imunizante de vírus inativado. Outras 100 mil doses serão enviadas a países da Europa. O imunizante deve ser administrado em duas doses, com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda aplicação.

A data em que as primeiras doses serão entregues está sendo negociada com autoridades dos dois continentes. Em âmbito nacional, ela é discutida no Ministério da Saúde, mas a expectativa é que a entrega ocorra já nas próximas semanas. Plano de vacinação será elaborado por grupo coordenado pela pasta.

Nesta quinta-feira (28), o Brasil atingiu os mil casos confirmados da varíola dos macacos e o Amazonas registrou seu primeiro caso. Mais de 700 pacientes identificados com o vírus estão localizados em São Paulo, mas diversos estados já registram transmissão comunitária, ou seja, aquela em que o paciente não sabe de quem pegou o vírus.

Continua depois da Publicidade

O Ministério da Saúde confirmou a primeira morte pela doença no país. O paciente estava internado no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, e morreu na quinta-feira, 28.

“Trata-se de um paciente do sexo masculino, 41 anos, com imunidade baixa e comorbidades, incluindo câncer (linfoma), que o levaram ao agravamento do quadro. Ficou hospitalizado em hospital público em Belo Horizonte, sendo depois direcionado ao CTI. A causa do óbito foi choque séptico, agravada pela monkeypox”, divulgou o Ministério da Saúde, em nota.

Continua depois da Publicidade

A varíola do macaco pode ser transmitida por meio de gotículas de saliva, secreção nasal ou contato com as lesões na pele geradas pela doença. No entanto, cerca de 95% dos novos casos até agora foram transmitidos por via sexual.

*Com informações do R7

Continua depois da Publicidade