Pesquisar por em AM POST

Brasil

“Desconheço”, diz Bolsonaro após PF apontar nova joia que teria sido negociada nos EUA

O ex-presidente não poupou críticas à atual diretoria da Polícia Federal, acusando-a de fabricar escândalos com o intuito de prejudicá-lo.

  • Por AM POST

  • 12/06/2024 às 12:10

  • Leitura em três minutos

Em meio às recentes investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) sobre uma nova joia que teria sido negociada por emissários do ex-presidente Jair Bolsonaro nos Estados Unidos, o ex-mandatário finalmente se pronunciou sobre o caso. Em entrevista ao colunista Paulo Cappelli, do Metrópoles, Bolsonaro afirmou “desconhecer” o item em questão, que entrou no radar dos investigadores após depoimentos colhidos em solo norte-americano, e antecipou a linha de defesa que deverá ser adotada em sua defesa no âmbito judicial.

“Desconheço essa nova joia. Não sei nem o que é [o objeto]. Se teve algo nesse sentido [negociação], sequer chegou ao meu conhecimento. Sobre essa questão de presentes recebidos, havia muitas pessoas. Algumas informações me chegavam muito depois. E, por vezes, nem chegavam até mim”, declarou Bolsonaro, referindo-se aos membros de sua equipe.

PUBLICIDADE

O ex-presidente não poupou críticas à atual diretoria da Polícia Federal, acusando-a de fabricar escândalos com o intuito de prejudicá-lo. “Agora, o que a atual diretoria da Polícia Federal está fazendo para tentar fabricar ‘escândalo’ nas minhas costas tá de brincadeira. Disseram que tinham encontrado um cavalo de ouro que valia milhões. Manchete em todos os jornais. Aí, depois, descobriram que o cavalo era de cobre e não valia nada. Para me atingir, usam a estrutura da PF para investigar até baleia”, acusou.

A comparação com o incidente do cavalo, que inicialmente fora alardeado como um item valiosíssimo e depois rebaixado a um objeto sem valor significativo, foi usada por Bolsonaro para ilustrar o que ele considera ser um exagero e distorção por parte da PF. Segundo ele, há um esforço deliberado para prejudicá-lo, usando recursos e pessoal da polícia de forma desnecessária e tendenciosa.

Bolsonaro também aproveitou a oportunidade para relembrar o caso Adélio Bispo, o homem que o esfaqueou durante a campanha presidencial em Juiz de Fora, em 2018. O ex-presidente criticou a PF pela falta de progresso nas investigações sobre o atentado e sugeriu que, se houvesse um empenho semelhante ao dedicado às investigações atuais, o caso já estaria resolvido.

PUBLICIDADE

“Se a Polícia Federal tivesse empenhado 10% desse esforço no caso Adélio, teria descoberto o mandante, quem queria a minha morte. Teve uma pessoa que tentou entrar na Câmara com o nome do Adélio, para forjar um álibi. Adélio foi ao clube de tiro que Carlos Bolsonaro frequentava em Santa Catarina. Quem passou essa informação a ele?”, questionou Bolsonaro.

A defesa de Bolsonaro deve centrar-se na alegação de desconhecimento e na falta de envolvimento direto com os itens em questão. Esta postura, somada às acusações de perseguição política, visa construir uma narrativa de que ele é alvo de um complô institucional. Resta saber como essa linha de defesa será recebida nos tribunais e pela opinião pública.

PUBLICIDADE

O AM Post apoia a causa autista
blank

Hoje aprendi que à manifestação de carinho mais sincera é o de uma criança com Autismo! Estes anjos, tem a felicidade de ser veraz, não afetando-se com o meio.

- Winaldario Santos

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank