Pesquisar por em AM POST

Brasil

Desembargador é suspeito de manter mulher surda em condições análogas à escravidão durante 20 anos

A vítima foi resgatada da casa e para ela foi solicitada a quitação das verbas trabalhistas devidas.

  • Por AM POST

  • 07/06/2023 às 14:19

  • Leitura em 1 minuto

Foto: TJSC/Divulgação

O desembargador Jorge Luiz Borba e a esposa estão sendo investigados pelo Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF), suspeitos de manter uma mulher surda em condição análoga à escravidão há 20 anos. Uma operação foi realizada na casa dele nessa terça-feira, 6.

A vítima esteve prestando depoimento no MPF com um advogado, uma defensora pública e um intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

PUBLICIDADE

Em nota oficial, o desembargador disse que “aquilo que se cogita, infundadamente, como sendo ‘suspeita de trabalho análogo à escravidão’, na verdade, expressa um ato de amor. Haja vista que a pessoa, tida como vítima, foi na verdade acolhida pela minha família”.

De acordo com a denúncia do MPF, a vítima nunca teve instrução formal e não possuiu o convívio social resguardado.

A operação na casa do magistrado foi motivada por uma investigação que apura “indícios da prática criminosa” após relatos de “trabalho forçado, jornadas exaustivas e condições degradantes”.

PUBLICIDADE

As ações do MPF na casa do desembargador foram acompanhadas pelo Ministério do Trabalho Público e Federal. A mulher foi resgatada da casa e para ela foi solicitada a quitação das verbas trabalhistas devidas.

O caso segue sendo investigado em segredo de Justiça.

PUBLICIDADE

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank